Seguir por Email

terça-feira, 15 de setembro de 2009

MUDA na Comunicação Social

Autárquicas/Alandroal
Independentes acusam presidente (PS) de "perseguição pessoal e política" a funcionários camarários

O candidato do movimento independente à Câmara de Alandroal, João Grilo, acusou hoje o presidente socialista do município, João Nabais, de "perseguição pessoal e política" a funcionários camarários, mas o autarca remeteu para mais tarde uma reacção às criticas.
b
"São vários casos que se podem rotular como perseguição pessoal e política e que não se restringem apenas [a pessoas ligadas] ao nosso movimento, mas também a outros partidos da oposição", disse João Grilo, em declarações à agência Lusa.
O candidato, que desempenhou o cargo de vice-presidente da Câmara de Alandroal (PS) até Abril deste ano, vai concorrer ao município alentejano, liderando o Movimento Unidade e Desenvolvimento de Alandroal (MUDA).
De acordo com João Grilo, desde que o movimento iniciou a sua actividade, "algumas pessoas próximas, e simultaneamente funcionários da autarquia, começaram a sofrer pressões que se traduziram na não renovação do contrato de trabalho".
"Não podemos falar propriamente em despedimento, mas, sendo possível, não foi renovado o contrato de trabalho [dos funcionários em causa]", sustentou.
João Grilo acrescentou que, noutros casos, alguns funcionários "sofreram mudança de funções repentina para locais que não correspondem ao seu conteúdo funcional e com uma redução de categoria", o que considerou "ilegal".
"É uma estratégia de intimidação para tentar mostrar quem manda e que não vale a pena pensar em fazer um jogo democrático sério, porque o poder tenta controlar e fazer valer a sua voz por outras formas", acusou, depois de ter emitido um comunicado sobre o assunto.
Dando como exemplo o caso da sua própria mulher, que é funcionária no município, o candidato independente explicou que "foi transferida, sem o seu acordo, para uma categoria inferior e para desempenhar funções que não correspondem ao seu conteúdo funcional".
"Entendemos que o despacho que deu origem a essa transferência, que não foi comunicado directamente à funcionária mas deixado afixado em local público da autarquia, é nulo e que não tem legalidade. Vamos contestá-lo por vias judiciais", afirmou.
Segundo João Grilo, funcionários ligados a outros partidos "viram-se sujeitos a pressões do mesmo tipo, também à revelia da lei".
"Estamos a falar de funcionários, candidatos da CDU, que são delegados sindicais e que não podem ser transferidos sem o seu prévio acordo", disse.
Contactado hoje pela agência Lusa, o presidente da Câmara de Alandroal, João Nabais, remeteu para mais tarde uma reacção às acusações.
Diário de Notícias on line, 15.09.2009

15 comentários:

Anónimo disse...

Isto tudo é verdade, só é de lamentar que o sr.Grilo, enquanto vereador da autarquia pelo PS durante 3 anos e meio, nada tenha feito em defesa dos inúmeros funcionários que são alvo de perseguições políticas e pessoais, algumas bem graves, e que só agora tenha vindo a público denunciar tais situações. Apenas agora, porque lhe tocou na família. Porque enquanto andaram a perseguir apenasos comunistas,para si era indiferente. A verdade é que o sr. ex-vereador sempre esteve ao lado do nabais em todas as suas decisões contra os direitos dos trabalhadores. Ou já se esqueceu de que votou vários processos disciplinares infunfados contra trabalhadores? Processos esses que tiveram, mais tarde, e depois de terem destruído pessoas e famílias, psicológica e financeiramente, de ser anulados por nunca terem tido fundamento legal.
É pois com imensa pena que constato mais uma vez como o ser humano é mesquinho e hipócrita. A solidariedade humana não existe, apenas a usamos quando podemos dela tirar benefícios, como é agora o seu caso.
Como eu gostaria que o senhor tivesse tido antes essa coragem que vem agora demonstrar!

Anónimo disse...

Penso que a transferência de cargo seja a pena mais leve.

Não há fumo sem fogo!!!!

Explique melhor o porquê destas transferências, alguma coisa devem ter feito de bastante mau e éticamente reprovável.

Bem hajam........

Anónimo disse...

Se te deres ao "luxo" de lêr o que está escrito, concerteza fica explicado o porquê das transferencias. Ó DAAAAHHHH!

Anónimo disse...

Pois, cada vez eu mais estou contente com a minha decisão de ser como o camaleão.

Chamem-me o que quizerem, não me importo; sou cobarde???

Sim, sou.

Já padeci na péle, a força e a amargura da represália e não me soube nada bem, sofri imenso, portanto em tempos de ditadura, fico com a minha opinião, voto MUDA, mas não dou essa aparência, porquê???

Por cobardia, por temor, porque não quéro ser mais uma pessoa andando de lado para lado, sem saber onde vou ficar afinal.

Num país livre aparentemente, mas que os que teem o poder dado precisamente pelo povo, são esses mesmos que depois nos condicionam a não poder-mos expressasr a nossa opção de voto.

O cansaço da opressão começa a fazer móça na minha mente, até quando terei de viver na sombra dos meus pensamentos???

Falar é fácil, mas quem sabe o que vai no convento, é quem lá mora dentro e eu móro lá dentro.

Força MUDA, o meu desejo é que sejam pessoas idóneas, coerentes, sensíveis aos problemas do povo que os elége e já agora também que programem dias para atendimento ao Munícipe, e que cumpram esse calendário de atendimento, passeem menos, e trabalhem mais em pról do Concelho.

Um bem haja a todos e que a vitória seja de todos os que apoiam o MUDA.

Anónimo disse...

Para ser mais claro, e já que o senhor através do seu Movimento, defende e propaganda a clareza e justiça, queira por favor informar qual era a categoria que a sua mulher tinha na CM, e qual tem agora, e se isso afectou o salário. Acho que não basta vir dizer que uma pessoa baixou de categoria. Há que dar mais dados sobre isso. Obrigado.

Anónimo disse...

Logo em 2002, na primeira legislatura do grupo PS, começaram
as pressões pessoais que depressa se tonaram em perseguisões.
Saem nessa altura, o vereador Cavacas, joão Mexia e da Assembleia
algns deputados vão-se afastando.
Todos esses, agora com João Grilo e Joaquim Galhardas, obtiveram a triste experiência de conhecer os meandros das intrigas politicas, e por isso, hoje tiveram a coragem de se agrupar em movimento.
João Maria Grilo faz muito bem em denunciar a situção, tornando-se assim porta voz de os perseguidos, não sí politicos, como também e sobretudo dos empregados administrativos, politicamente perseguidos, como o caso do Joaquim António, Carlos Ribeiro, Luis Rebocho, Gabriela Coelho.
Porque não responde o Presidente JNabais às acusações, no momento em que era seu dever responder?
Reserva para mais tarde a resposta, para a fazer cair no esquecimento?
Não almeja que as acções praticadas são demasiadamente fortes para serem esquecidas?
Penso que o Presidente deve fazê-lo quando antes, pois a dúvida causar-lhe-à muito mais distúrbios
do que a verdade, é-lhe muito mais prejudicial.

Torigaldo.

Anónimo disse...

OH GRILO JÁ PENSASTE QUE ESTA GUERRA É SÓ TUA??? O NABAIS NÃO REAGE ÁS TUAS PROVOCAÇÕES...DESISTE! EHEHEHEHEHEHE

Anónimo disse...

anónimo das 19:12, são esses todos a sofrer represálias e nem você imagina quantos sofren en silêncio, olhe que não são poucos, mas há muita gente, que tem lá familia e outros que são funcionários.

nunca se viu tanto temor numa autarquia como está acontecendo hoje em dia nesta CMA.

Anónimo disse...

Numa conversa no Verão de 1923, durante uma conversa, Stálin confidenciou a dois correlioginários, que "escolher a vítima,preparar cuidadosamente o golpe,satisfazer uma vingança implacável, depois ir para a cama...Não há nada mais doce no mundo."
A 21Ago!1940 morreu Trotsky, após sofre um atentado na sua casa no México...A pancada dada na cabeça do revolucionário foi dada com um quebrador de gelo...
O mal é pensarmos que tais factos ocorridos anteriormente não possam suceder agora!
No presente caso, são perseguições aparentemente "pequenas" mas com toda a intenção e carga odiosa das Stalinistas.

Anónimo disse...

O que se passa na nossa Câmara, faz lembrar o arquipelago de Gulag, livro que relatou a repressão na União Soviética, quando do regime comunista.
Parece-me que estes oito anos da presidencia PS, ainda superam.

Torigaldo

Anónimo disse...

Há pois é, anónimo das 22:36, o Nabais não diz nada porque anda nervoso com o que está para acontecer, Até ele já acredita que vai ganhar.

E mais uma coisinha____ele não fala agora, mas se por infurtúnio do destino ele ganhar, então é que se vai saber na totalidade o mau carácter do Nabais, porque se ganhar já não necessita de outro mandato para ficar com uma choruda reforma.

Depois então, faz tudo o que lhe der na gana e ai daquele que se mostrar contra.

Nem gosto de imaginar esse panorama.

È por isso mesmo que eu cá vou continuando à sombra do anónimato.

Nem me importo que me apelidem de fraco/a, quero lá saber, eu não quero é sofrer e vou votar no MUDA, como sempre o tenho dito, desde que o movimento se criou.

Aliás, antes de haver esse movimento já eu era a favor do Sr. Grilo, quanto mais agora que vejo que existem tantas pessoas com vontade de MUDAr.

Força MUDA, há muita gente que vai votar muda, embora aparente votar NABAIS.

Anónimo disse...

Para o anónimo das 22H36 do dia 16,
"o pior cego è aquele que não quer ver"

Anónimo disse...

Já agora acrescentem na lista dos perseguidos a anterior médica veterinária que, 2 dias antes de terminar a licença de maternidade, recebeu um telefonema a mandarem entregar com urgência a chave do gabinete do mercado porque passava a haver outra pessoa no cargo!

Anónimo disse...

já agora porque não falar da telefonista da câmara (mesmo telefonista) que por não se sabe que razões foi enviada para outro lado (sem nada para fazer) e substituida (segundo se diz) por um fiel de mercados e feiras??!! e esta hem?!quais são as funções de um fiel de mercados e feiras?

Anónimo disse...

Não é bem isso que o anónimo das 12:28 quer dizer, eu explico porque estou dentro do assunto.

A telefonista foi arrumada a um canto, foi sim senhor, mas não foi substituida pelo Sr. que tinha o cargo de fiel de armanzém.

A telefonista esteve mais de uma ano e bem, acompanhada por uma rapariga a Teonila, que estava a recibos verdes, estavam as duas ao telefone, uma vez atendia uma, outra vez atendia outra.

Assim que o Nabais a conseguiu integrar nos quadros da câmara, deu então um grande pontapé na Gertrudes ( a verdadeira telefonista).

Assim ficou a menina dos olhos doces em telefonista e a Gertrudes em solitária.

Quanto ao Sr. que éra e é Fiel de armanzém, foi atirado para um velho casão, sem condições habitáveis.

Tudo porque a cor partidária dele não é a mesma do Sr. Nabais.

E tantos como estes, estão enclausurados a mando do ditador Nabais.

E outros não estão porque se camuflam, não dando assim a entender a sua cor politica.

Nunca mais chega a vitória MUDA: