Seguir por Email

quinta-feira, 29 de março de 2012

NOTÍCIAS CMA



Alandroal: Executivo Municipal Com Nova Composição

Na sequência do pedido de renúncia ao mandato, por motivos pessoais, apresentado pela Dra. Fátima Ferreira no passado dia 14 de Março, o cargo de vereador a tempo inteiro e vice-presidente voltou, a partir da reunião de câmara de ontem, a ser ocupado pelo Sr. Joaquim
Galhardas, que já tinha desempenhado estas funções entre Abril e Junho de 2011.

Recorde-se que a Dra. Fátima Ferreira deixou de estar a tempo inteiro na câmara em Janeiro de 2011 quando foi assumir funções de médica num Centro de Saúde de Évora. Entre Junho de 2011 e o momento da renúncia ao mandato, a Dra. Fátima esteve, por vontade própria, em regime de
“não permanência”, ou seja, sem pelouros e participando apenas nas reuniões de câmara quinzenais.

Com esta alteração, ficam a cargo do vice-presidente os mesmos pelouros pelos quais já tinha sido responsável: “Protecção Civil”, “Abastecimento de água, drenagem e tratamento de águas residuais urbanas”, “Habitação”, “Formação profissional”, “Transportes Escolares e Municipais”, “Feiras e Mercados”, “Serviços Veterinários” e “Ambiente, Limpeza Pública, Recolha e Tratamento de Resíduos Sólidos Urbanos”.
Fonte: Gabinete de Imprensa CMA

terça-feira, 27 de março de 2012

NOTÍCIAS CMA



Município de Alandroal Associa-se àHora do Planeta
É já no próximo dia 31 de Março, entre as 20:30 e as 21:30 horas, que o Município de Alandroal vai desligar as luzes de alguns edifícios e monumentos do concelho, no âmbito da iniciativa“Hora do Planeta”. Há semelhança do que aconteceu em 2011, a Câmara Municipal de Alandroal vai associar-se à rede WWF (World Wildlife Foundation) nesta acção de sensibilização global.
Para assinalar a sua participação nesta “chamada de atenção” para a necessidade de cuidarmos melhor do nosso planeta, a Câmara Municipal de Alandroal vai desligar as luzes do Edifício Sededo Município, Torre de Menagem do Castelo, Rossio do Arquiz e ainda de todas as fontes e repuxos da vila.
Recorde-se que a “Hora do Planeta” é uma iniciativa global da rede WWF (World Wildlife Foundation), em que todo o planeta (Indivíduos, empresas, governos e comunidades) é convidado a desligar as luzes, durante uma hora, com o objectivo de sensibilizar a população para a necessidade de diminuir os consumos de energia, protegendo assim o planeta. Ainiciativa teve início em Sidney, em 2007, quando 2 milhões de pessoas desligaram as luzes de suas casas de forma espontânea. O evento tem vindo a crescer de ano para ano e já superou todas as expectativas dos organizadores, com mais 170 países actualmente envolvidos.
A Câmara Municipal de Alandroal lança o apelo a toda a população para que participe activamente nesta iniciativa, desligando as luzes das suas casas, no sábado dia 31 de Março, entre as 20:30 e as 21:30 horas. Não podemos esquecer que apenas temos um planeta e é urgenteque o cuidemos. Não fique indiferente a esta iniciativa e transporte-a para o seu dia-a-dia, para bem do nosso planeta. Mais informações no site www.wwf.pt.
Fonte: Gabinete de Imprensa CMA

segunda-feira, 26 de março de 2012

SOBRE A CULTURA NO ALANDROAL

Publicamos neste blogue o texto enviado pelo Presidente João Grilo ao administrador do blogue "AL TEJO", a propósito da política cultural no concelho do Alandroal e das vozes anónimas que tentam denegrir o trabalho sério que tem vindo a ser feito. O texto dispensa mais comentários.

Caro Chico,

Não é a primeira vez que me sinto tentado a dirigir-lhe algumas palavras, numa vontade que resulta sempre de ver reproduzidas no espaço que dirige afirmações ou ideias injustas, incorrectas, redutoras ou distorcidas.
Reconheço o seu esforço para ser isento e admito que o facto de estar longe, e de a informação lhe chegar fragmentada, para não dizer distorcida, possa contribuir para isso. O que só prova que o meu amigo tem que estar mais atento e alerta.
É o caso das suas últimas afirmações sobre a política cultural no concelho, em que parece querer afirmar que o (excelente) grupo de teatro da Escola Popular é um oásis no deserto da cultura local "que nunca por nunca pode limitar-se a troca de politiquices baratas e sem fundamento".
Ora, meu caro Chico, não podia estar mais de acordo consigo. Mas como esta conversa já não é nova, obriga-me a tecer algumas considerações adicionais.
Vai-me desculpar as comparações entre o "antes" e o "agora", mas elas são inevitáveis para uma boa avaliação.
O grupo de teatro foi criado no início do meu mandato no âmbito do projecto da "Escola Popular Túlio Espanca" também lançado por nós. Uma escola que envolve hoje cerca de 500 alunos (sim, 500 pessoas do concelho, quase 10% da população) distribuídos por actividades tão diversas como o teatro, a informática, a ginástica, a história, a poesia, o inglês, as aulas de instrumentos tradicionais, etc.). Um projecto que já está presente em praticamente todas as localidades do concelho. Antes o que havia? NADA!
O Fórum Cultural é neste momento dirigido por uma pessoa do concelho, dos quadros da câmara, que tem a minha absoluta confiança para o lugar que ocupa e que tem demonstrado grande capacidade de trabalho e, sobretudo, grande capacidade de fazer muito com muito pouco.
É que, sem pôr em causa as capacidades de ninguém, fazer alguns brilharetes, durante algum tempo, com o dinheiro que não se tem a acumular dívida, qualquer um faz. Se eu quisesse podia hoje comprar para mim uma casa de praia, um iate, um carro de luxo e uma grande viagem e vivia três ou quatro meses "à grande". E depois, como seria? Como vivo do meu ordenado, como seriam os meus próximos 20 anos? Iam ser muito difíceis, por certo. O mesmo se passou a todos os níveis no Alandroal, e também com a "cultura de excelência" de um certo momento. Vamos juntar todas as despesas do Fórum Café Concerto com as Agenda Cultural e vai haver surpresas. Já falta pouco para sabermos os números e vermos onde se falta à verdade.
A programação do Fórum é neste sentido equilibrada entre o que são as expectativas do nosso público (que tem enchido salas a saído satisfeito) e o que os financiamentos comunitários permitem, porque dinheiro, é coisa que não ficou por cá.
Para além disso, sai com regularidade para as aldeias, onde a câmara nunca tinha levado NADA! Estive em muitos dos espectáculos dos Bonecos de Santo Aleixo nas aldeias, vi a genuína alegria das pessoas e sei do que estou a falar.
Para além dos espectáculos, o espaço tem acolhido eventos muito diversos que o dignificam. As exposições sobre o "Rio Guadiana" e sobre a "Rota do Contrabando" dirigidas pelo actual responsável, são o melhor exemplo de trabalhos de nível superior reconhecidos pelos visitantes. E a importância dada aos artistas locais merece ainda destaque.
A política cultural da câmara não se esgota aqui. Política cultural de um município é, do meu ponto de vista, muito mais do que um conjunto de actividades num espaço (Fórum).
Os principais eventos da câmara deixaram de ser "fogueiras de vaidades", incaracterísticas - que tanto se podiam fazer aqui como noutro lugar qualquer - para passarem a ser grandes momentos de promoção da cultura local.
Quer o Festival Terras do Endovélico, quer a Mostra Gastronómica do Peixe do Rio assentam na cultura, tradições e imaginário local para promover o que o concelho tem de melhor.
Quanto ao Endovélico, estamos criar o "Centro de Estudos do Endovélico", dirigido pela Dra. Ana Paula Fitas e envolvendo todos os investigadores que ao longo dos anos se têm dedicado a este estudo (Profs. Carlos Fabião, Amilcar Guerra e Thomas Shatner). Centro esse que será responsável pelo aumento do conhecimento em relação ao deus da Lusitânia e pelo acompanhamento científico e musealisação do futuro "Centro Interpretativo do Endóvelico", já em fase de estudo prévio de projecto de arquitectura. E sim, as estátuas vão vir para o concelho, para esse centro, conforme está acordado com o Director do Museu Nacional de Arqueologia, Dr. Luis Raposo. Alguém, alguma vez, de alguma forma, teve a coragem de pegar "com unhas e dentes" nesta tão importante temática do concelho e fazer este trabalho sério e consistente que tantos frutos pode dar no futuro? NÃO!
E alguém, alguma vez, de alguma forma, tinha valorizado o peixe do rio como ele está a ser valorizado? NÃO! NADA! Mas o Endovélico estava cá.
E o peixe estava cá, estava cá tudo. Nós partimos quase do zero com esta temática e apenas 3 edições depois está à vista de todos o sucesso da iniciativa e a importância que tem para a dinamização cultural, social e económica do concelho. E já agora, o "Receituário do Peixe do Rio" de "caríssimo" não teve nada, já que foi financiado por fundos comunitários.
Criámos o "Cinema de Rua" e muito em breve vamos ter Cinema Digital 3D numa máquina que não é "caríssima" como afirma a propaganda e que custa à câmara menos de 20.000 euros, já que é financiada em 70% por fundos comunitários. Em tudo idêntica às de Portel, Redondo e Reguengos, financiadas pelo mesmo programa.
Estamos a rever a "Carta Arquelógica" do concelho com a supervisão do Dr. Manuel Calado e trabalho de campo da Dra. Conceição Roque. Temos promovido escavações arquelógicas todos os anos. É capaz de me dizer há quantos anos a câmara não patrocinava estes trabalhos? (não esqueço a excepção do apoio dado aos trabalhos em S. Miguel da Mota, pagos pelo Instituto Alemão). Destas escavações resultaram, por exemplo, descobertas surpreendentes na Rocha da Mina no ano passado. Portanto, o que se fazia? MUITO POUCO para um concelho que se quer afirmar pela riqueza do seu património.
Está a ser criada uma "Comissão para as Comemorações dos 500 Anos dos Forais Manuelinos de Juromenha, Terena e Alandroal", cujo trabalho científico será dirigido pelo Professor Manuel Branco, que conduziu o mesmo processo em Évora. Para além do restauro dos antigos forais, vai ocupar-se da edição das suas transcrições e de um conjunto de actividades paralelas até 2015. Este assunto estava ESQUECIDO.
Vamos publicar as "Memórias Paroquiais do Alandroal", trabalho realizado já neste mandato pela Dra. Isabel Moreira.
Estamos a apoiar a Banda, de forma devidamente enquadrada num protocolo que permite que esta esteja presente em quase todas as festividades do concelho. O que já não estava a acontecer.
Vamos apoiar os Cantadores dos Reis na edição de um CD.
Estamos a apoiar a criação de um rancho folclórico em Hortinhas.
Está já em fase de publicação um livro de homenagem ao "Ti Limpas" e à poesia popular que também estava muito esquecida. Estamos a fazer recolhas de poesia popular que estão a ser realizadas pelo sector de cultura para futura edição e têm sido realizados encontros regulares de poesia popular em Capelins e Hortinhas.
Apoiamos todas as festividades do concelho, em particular as que mantém vivas as tradições mais antigas, com destaque para a Festa da Boanova, a Santa Cruz da Venda e a Santa Cruz de Cabeça de Carneiro que voltou a realizar-se ao fim de 17 anos.
E podia continuar com o FIKE, o protocolo com o CENDREV, os projectos de dinamização do castelo, etc.
Antes o que se fazia em todas estas áreas? MUITO POUCO, e em muitas delas, NADA!
Portanto, caro Chico, do meu ponto de vista, aquilo que temos hoje no Alandroal, apesar das grandes dificuldades financeiras, é uma política cultural e de promoção da cultura local como nunca tivemos! Uma política cultural com objectivos claros, com um rumo certo que vai muito para além dos ciclos eleitorais e dos fogachos de momento. Uma política cultural com objectivos que vão demorar 5, 10 ou até 15 anos a desenvolver totalmente, mas que tinha que ser começada agora, desta maneira. Uma política cultural virada para as pessoas e para o seu envolvimento directo.
Nós não andamos cá a "trocar politiquices". Isso são guerras que só têm beligerantes de um lado!
Nós estamos cá a trabalhar, e muito, que foi para isso que os eleitores depositaram confiança em nós. Há por detrás de tudo o que referi muito trabalho sério de muita gente séria que merece ser respeitado.
Se há politiquices não é da nossa parte que tudo fazemos para envolver o máximo de pessoas em tudo. Estamos muito agradecidos a todos aqueles que se envolvem de alma e coração nas actividades que a câmara promove.
Se há politiquices é da parte daqueles que tiveram a oportunidade, o tempo e mais dinheiro do que nós para fazer tudo isto e nada fizeram e que a coberto do anónimato que o Chico e outros lhes proporcionam tentam destruir tudo o que se faz de bem nesta terra porque não são eles a fazê-lo. Mas isto, já não é novidade para ninguém.
Pense nisto.

Com um abraço amigo,

João Grilo

25.03.2012

NOTÍCIAS CMA


Alandroal: Município Está a Requalificar Acesso a Juromenha e ao Alqueva


Com a montagem do estaleiro, tiveram início na passada semana as obras de requalificação do
troço de ligação entre a ER 373 (Alandroal – Elvas) e o centro da vila de Juromenha, e entre este e a água de Alqueva.

Numa extensão total de 735 metros, esta requalificação vem facilitar o acesso público à água
e às “Casas de Juromenha”, novo empreendimento turístico que nasceu naquele local e que abriu ao público recentemente.

Num investimento total de 145.958,79 euros mais IVA e um prazo de execução de 120 dias, esta éuma obra muito importante para a valorização da vila do concelho do Alandroal que mais intimamente está ligada ao Guadiana e à Albufeira de Alqueva.

O município de Alandroal vai concluir em simultâneo as obras de requalificação da envolvente
ao cemitério, no extremo oposto da vila, e está a planear futuros investimentos na requalificação dos arruamentos da vila de Juromenha.

Fonte: Gabinete de Imprensa CMA

quarta-feira, 21 de março de 2012

NOTÍCIAS CMA



Alunos da Escola Popular Túlio Espanca Preparam Comemorações do Dia Mundial do Teatro

É já no próximo dia 27 de Março que se comemora o Dia Mundial do Teatro e, para assinalar a data, os alunos do Pólo de Alandroal da Escola Popular Túlio Espanca, estão a ultimar os preparativos para a apresentação de uma peça de teatro especial, onde o público serão os idosos
institucionalizados nas valências de Lar, Centro de Dia e Apoio Domiciliário existentes no concelho de Alandroal.
O auditório do Fórum Cultural e Transfronteiriço de Alandroal será o palco para esta iniciativa, que vai acontecer no dia 27 de Março, pelas 15:30 horas. Organizada em conjunto pelas entidades executoras do programa Contratos Locais de Desenvolvimento Social, com o apoio do Município de Alandroal, a iniciativa pretende assinalar o Dia Mundial do Teatro, por um lado, e possibilitar um dia diferente aos idosos institucionalizados, por outro lado. A iniciativa é aberta à população e todos podem assistir a este espectáculo, que associa as comemorações do Dia Mundial do Teatro com preocupações sociais.

Refira-se que o Teatro nasceu em Atenas, associado ao culto de Dionísio, deus do vinho e das festividades. As representações teatrais tinham lugar em recintos ao ar livre, construídos para
o efeito. Em 1961, a Unesco institui o dia 27 de Março como o Dia Mundial do Teatro, data que ainda hoje se comemora.

Venha fazer parte da História do Teatro, participando nesta iniciativa que os alunos do Pólo de Alandroal da Escola Popular Túlio Espanca prepararam para si, em colaboração com a Câmara
Municipal e as entidades executoras do programa CLDS.
Fonte: Gabinete de Imprensa CMA

terça-feira, 20 de março de 2012

NOTÍCIAS CMA


O Fórum Cultual e Transfronteiriço de Alandroal recebe no próximo Sábado, dia 24 de Março, a partir das 21:30 horas, o espectáculo de teatro “Xô Das Velhas”, peça produzida em conjunto pelas companhias de teatro “Baal 17” e “AL-MaSRAH Teatro”.
“Xô das Velhas” é um espectáculo que se serve da ficção para falar daquilo que a realidade tem medo, enxotando a tragédia da vida real e chamando a si a comédia real da vida. Nesta peça o espectador é convidado a descobrir e a refletir sobre a forma como as “velhas” encaram a evolução do nosso mundo, em que tudo anda muito rápido para o seu passo curto.
É neste universo que um grupo de experientes actores se desdobra para contar as peripécias do dia-a-dia das “velhas”, do seu confronto com um mundo que se quer cada vez mais jovem, empreendedor e mercantil. A Câmara Municipal de Alandroal convida-o a assistir a este espectáculo, integrado na rede cultural Teias, e a passar um animado serão em família ou entre amigos.
Fonte: Gabinete de Imprensa CMA

segunda-feira, 19 de março de 2012

NOTÍCIAS CMA



Alandroal: Mostra Gastronómica do Peixe do Rio com Balanço Positivo
Presença na Bolsa de Turismo de Lisboa e boa projecção nos media contribuíram para aumento de visitantes


Com um stand integrado no espaço do Turismo do Alentejo – destino convidado da BTL (Bolsa de Turismo de Lisboa) deste ano – entre 29 de Fevereiro e 4 de Março, o Município de Alandroal fez passar pelo seu espaço os saberes e os sabores do peixe do rio, acompanhados de algumas surpresas que suscitaram a curiosidade dos visitantes.

Um dos momentos mais marcantes aconteceu na tarde de sexta-feira, dia 2 de Março, com a realização de uma degustação de alguns dos melhores pratos de peixe do rio, onde estiveram
presentes o presidente da Câmara de Alandroal, João Grilo, o presidente do Pólo de Turismo Terras do Grande Lago Alqueva, Francisco Chalaça, o presidente da Entidade Regional de Turismo do Alentejo, Ceia da Silva, e ainda os cantores Nelson e Sérgio Rosado, da banda “Anjos”, que não quiseram deixar de apoiar o “seu” concelho neste momento.

Já na tarde de Domingo, dia 4 de Março, o Município de Alandroal sorteou quatro noites de estadia em Alojamentos do concelho, uma oferta patrocinada pela Herdade de Dom Pedro, Monte das Galhanas, Casas de Juromenha e Hotel Rural Nave Terra.

O município faz um balanço muito positivo da III Mostra Gastronómica do Peixe do Rio. A procura cresceu mais de 20% em termos médios, com locais que quase duplicaram a venda de pratos de peixe do rio, em relação à edição do último ano. Todas as actividades paralelas foram também muito participadas, com destaque para a “Hora do Petisco”, a exposição “Na Rota do Contrabando” e o passeio pedestre com o mesmo tema, realizado na aldeia ribeirinha de Montejuntos.

João Grilo referiu que este evento “é uma aposta ganha, e um exemplo de como se deve trabalhar a promoção das potencialidades do concelho. Um certame em que partimos do zero – nunca se
tinha feito nada para promover esta tradição do concelho – e que cresce de forma sustentada a cada ano. O nosso objectivo é continuar a inovar e a crescer”. “A melhor constatação deste trabalho reside no facto de todos os restaurantes, cafés e alojamentos aderentes já terem confirmado que irão participar na mostra do próximo ano”, concluiu o autarca.
Fonte: Gabinete de Imprensa CMA

domingo, 18 de março de 2012

MOSTRA GASTRONÓMICA DO PEIXE DO RIO




Intervenção do Presidente da Câmara na Sessão de Abertura:

Começou ontem, nos restaurantes e cafés do concelho a III Mostra Gastronómica do Peixe do Rio do Alandroal.

Este certame que lançámos em 2010 para valorizar uma das maiores tradições do concelho – a gastronomia do peixe do rio – tem vindo a crescer a cada edição e transformou-se num importante momento de afirmação das potencialidades do concelho, assim como representa uma forma positiva, com forte identidade, de nos darmos a conhecer aos outros. É ainda um importante momento de dinamização económica numa altura em que os nossos restaurantes e os nossos alojamentos sentem, de uma maneira especial, os efeitos das dificuldades que o pais atravessa. É também o melhor exemplo da lógica que temos procurado imprimir a todos os eventos promovidos pela autarquia (“Terras do Endovélico”, iniciativas “Alandroal ConVida”, etc.), assentes em três pilares fundamentais: cultura e tradições locais, envolvimento da comunidade local e sustentabilidade financeira.

Cultura e tradições locais, com dois efeitos: mostrar aos outros o que temos de único e de melhor e aumentar a nossa própria auto-estima e conhecimento de nós próprios, tão importante nos dias que correm. Haverá quem diga que “peixe não puxa carroça”. Pois nós dizemos que sim! O peixe pode ajudar a puxar por um concelho que precisa de acreditar nas suas potencialidades e arregaçar as mangas para fazer esse trabalho. Pode o peixe, como pode o Endovélico, a Santa Cruz ou as enxovalhadas, os três castelos ou o Alqueva, os Pêro Rodrigues ou a Boanova, a Rocha da Mina ou o Lucefécit, a Fonte Santa ou os queijos a Rota do Fresco ou a Rota do Contrabando, os cantadores dos reis ou os poetas populares, a caça ou o porco preto, as filhoses ou os vinhos...enfim, como é que alguém pode chamar pobre a este concelho com toda esta riqueza que não existe em mais lado nenhum do mundo?

Envolvimento da comunidade local: não fazemos as coisas para dentro (para a câmara, para recriação interna), fazemos para fora, para os munícipes, para os visitantes, para os agentes económicos. Queremos que todos sintam que este é um evento de todos e para todos.

Sustentabilidade financeira: com eventos que não representem encargos avultados. Que não comprometam verbas que o município não tem e que fiquem pagos depois de realizados. Fazer muito mais, com muito menos. Não só pelos tempos que vivemos, mas também porque é esta a obrigação de quem gere dinheiros públicos. A tudo isto se chama, efectivamente, “ fazer render o peixe”, no melhor sentido da expressão.

Estes três pilares constituem uma base sólida que nos deixa muito satisfeitos com os resultados obtidos e nos permite, a cada ano, fazer com que cresçam e possam ser melhorados numa base sustentável.

Ontem estivemos na Bolsa de Turismo de Lisboa (BTL), no coração do stand do Turismo do Alentejo, com uma apresentação dos pratos de peixe do rio e dos vinhos do nosso concelho que foi muito bem recebida. Este ano o Município dispõe de um espaço próprio de promoção do concelho dentro do stand do Turismo do Alentejo especialmente dedicado à Mostra e onde estamos a sortear dormidas nos alojamentos do concelho, gentilmente oferecidas por estes, o que, desde já, agradeço.

Para além do concurso de pesca, do mercado de produtos regionais e dos ateliês de culinária quero destacar: A “Hora do petisco”, todos os finais de tarde em todos os restaurantes e cafés aderentes, para recuperar a antiga tradição do petisco. Ao longo da semana vamos promover um roteiro da hora do petisco aberto a todos que vai passar por todos os locais e para o qual deixo já o convite a todos vós. A exposição “Na Rota do Contrabando” que vamos inaugurar daqui a pouco. Um tema que se liga a este evento pelo imaginário associado ao rio e às rotas que implicavam a sua travessia e que procura homenagear os homens e mulheres que em tempos muito difíceis – bem mais difíceis dos que vivemos hoje, é preciso que não nos esqueçamos disso! – arriscavam as suas vidas para ganhar o sustento das suas famílias.

A apresentação, já de seguida, de um “Receituário do Peixe do Rio”, um projecto financiado por fundos comunitários que resulta do convite que lançámos aos restaurantes para apresentarem uma das suas receitas e que se destina a contribuir para a promoção da mostra. O passeio pedestre “Na Rota do Contrabando”, no Domingo, dia 11, e culmina com a já habitual “caldeta para todos” no largo do Centro Cultural em Montejuntos e para o qual também ficam todos convidados.

Para o próximo ano, como culminar de um conjunto de dinâmicas que estão a surgir em torno deste evento, deixo já o desafio a todos nós de criarmos a “Confraria do Peixe do Rio”, estrutura responsável pela defesa, recuperação e preservação de toda a riquíssima tradição gastronómica do concelho.

E deixo ainda um desafio para este ano aos nossos restaurantes, vamos manter os pratos de peixe nas ementas para lá dos dias da mostra. Vão ver que a procura vai continuar! E esse é um dos grandes objectivos desta iniciativa.

Quero agradecer a todos os restaurantes e cafés aderentes, a todos os alojamentos, aos pescadores e cozinheiros, aos antigos contrabandistas, à Guardia Civil espanhola, às IPSS através dos CLDS, aos “Marujos”, à comunicação social (que tem acarinhado este evento) e a todos os que, de alguma forma, deram ou vão dar o seu contributo para este certame. Agradeço também o trabalho dedicado de toda a equipa da Câmara Municipal do Alandroal.

Este é um festival “bem amanhado”, feito por uma grande conjunto de pessoas para todos vós. Espero que ninguém fique de molho (nem com espinhas na garganta). Aproveitem o que vier à rede até ao próximo dia 11 e ao longo do ano.

Muito obrigado a todos

PARA REFLECTIR

"(...) a democracia está muito exposta a oportunistas, a vendedores de banha da cobra, a pessoas determinadas e bem-falantes mas sem grandes princípios. Que continuam a ser choradas, mesmo depois de estar à vista de todos a sua natureza."

José António Saraiva, "Política a Sério", Semanário "Sol", 16 de Março de 2012

quarta-feira, 14 de março de 2012

NOTÍCIAS CMA


Edição 2012 dos Jogos da Zona dos Mármores Arranca no Próximo dia 18

O próximo Domingo, dia 18 de Março, marca o arranque da edição 2012 dos Jogos da Zona dos Mármores, iniciativa conjunta dos Municípios de Alandroal, Estremoz e Vila Viçosa. As actividades iniciam já este domingo, com a realização de uma caminhada em Vila Viçosa.

Com um grau de dificuldade médio, a caminhada terá uma distância aproximada de 10km, num percurso marcado pela beleza da paisagem. A Câmara Municipal de Alandroal proporciona o transporte aos munícipes que queiram participar nesta iniciativa. A concentração está marcada para as 08:30 horas, no Terminal Rodoviário de Alandroal. A iniciativa é aberta à participação de todos e não tem qualquer custo de inscrição associado, no entanto, as inscrições são limitadas a 50 participantes.

As actividades dos Jogos da Zona dos Mármores 2012 continuam no dia 29 de Abril, no Alandroal, com a realização de um torneio de Sueca, em que todos estão convidados a participar. Os interessados em participar em qualquer actividade dos Jogos da Zona dos Mármores devem dirigir-se ao posto de Turismo de Alandroal ou fazer a sua inscrição através do telefone 268 440 045.

De referir que os Jogos da Zona dos Mármores pretendem fomentar a prática da actividade desportiva e estimular o aprofundamento das relações de cooperação entre os Municípios organizadores, rentabilizando os equipamentos existentes em cada um dos concelhos e promovendo uma maior integração sociocultural das populações.

Fonte: Gabinete de Imprensa CMA

terça-feira, 6 de março de 2012

NOTÍCIAS CMA


Alandroal Comemora Dia da Mulher ao Som dos Ritmos Flamencos

Com o objectivo de assinalar o Dia da Mulher, a Câmara Municipal de Alandroal vai promover um espectáculo com o grupo de Flamenco e Sevilhanas “Serva la Bari”, no próximo dia 8 de março, quinta-feira, a partir das 21:30 horas. “Aires Flamencos” é o espectáculo que o grupo vaiapresentar no Fórum Cultural e Transfronteiriço de Alandroal e que promete ser um momento cultural intenso, marcado pela força, dinamismo e sentimento tradicional da cultura flamenca.

“Aires Flamencos” é um espectáculo onde se abre um amplo leque de estilos do flamenco, que o espectador é convidado a apreciar. “Rosas y Alegrías”, “Tientos-Tangos”, “Cartagenera del Piñana”, “Granadina” ou Bulerías são alguns dos diferentes estilos que poderão ser apreciados aolongo do espectáculo.

Serva la Bari é um Grupo de Flamenco e Sevilhanas, formado em Lisboa em 1999 por, Joaquín Moreno (cante), Francisco Morales (toque) e Carlos Mil-Homens (percussão). Com o decorrer do tempo, o grupo tem actuado por todo Portugal, bem como em algumas outras cidades europeias, tendo como um de seus principais objectivos a divulgação da arte e da cultura flamenca. Actualmente o espectáculo conta com a participação de Sofia Abraços, uma das melhores bailarinas de flamenco em Portugal. Neste “Dia da Mulher”, a Câmara Municipal de Alandroal convida-o(a) a assistir a este espectáculo, com entrada gratuita.

Fonte: Gabinete de Imprensa CMA

quinta-feira, 1 de março de 2012

NOTÍCIAS CMA


DECO Realiza Sessão de Informação no Alandroal

A Associação de Defesa do Consumidor -DECO- vai realizar, no Alandroal, uma sessão de informação sobre a Defesa do Consumidor e a Gestão do Orçamento Familiar, temas cada vez mais prementes, no actual contexto de austeridade em que vivemos. A iniciativa, que se realiza no Fórum Cultural e Transfronteiriço de Alandroal no próximo dia 9 de Março, pelas 10:00 horas, é promovida pelas entidades executoras do programa CLDS para o concelho de Alandroal, no âmbito do protocolo estabelecido entre a DECO e a Câmara de Alandroal.

Entre outros assuntos de interesse para os munícipes, os técnicos da DECO vão explicar como devemos proceder para melhor gerir o orçamento familiar, como podemos comprar os produtos que precisamos de forma mais económica, etc. Além disso, serão explicados os apoios que estaAssociação de Defesa do Consumidor disponibiliza aos cidadãos, como por exemplo o apoio jurídico.

A sessão tem entrada livre e todos são bem-vindos, no entanto, devido a motivos logísticos, é conveniente confirmar a presença através do email clds.alandroal@mail.telepac.pt, ou através do telemóvel 932 088 853. Recorde-se que, no âmbito do protocolo estabelecido com o Município de Alandroal, os técnicos da DECO deslocam-se ao Alandroal para prestar apoio e esclarecimento, aos munícipes do concelho, todos os meses, na última sexta-feira de cada mês. O apoio mensal é prestado numa das salas do Fórum Cultural de Alandroal e é completamente gratuito.

Fonte: Gabinete de Imprensa CMA