Seguir por Email

quarta-feira, 31 de julho de 2013

O QUE MUDOU COM O MUDA (19)



MUDOU o destino do antigo Posto da Guarda Fiscal do Alandroal
O edifício acolheu durante décadas a biblioteca municipal mas estava a ficar de tal modo degradado que, por razões de segurança, foi encerrado e estava condenado ao abandono. A câmara conseguiu estabelecer um protocolo com o Ministério da Administração Interna para instalar ali um centro de segurança municipal com quartel de GNR, serviços de protecção civil, serviços de apoio à vitima, entre outros. O município desenvolveu o projecto técnico, obteve financiamento e as obras vão arrancar em breve.

Valeu a pena MUDAR!
Vale a pena continuar a MUDANÇA!

terça-feira, 30 de julho de 2013

O QUE MUDOU COM O MUDA (18)



Mudou a visão estratégica para o concelho.
O município deixou de andar à deriva em termos de estratégia para o futuro. Foi desenvolvido um plano estratégico para o desenvolvimento do concelho para os próximos anos – a “Agenda 21 Local” – que corresponde a 65 projectos prioritários para desenvolver até 2020. O documento foi construído com a colaboração de toda a população, em sessões públicas em todas as freguesias e através de questionários aplicados em todo o concelho num processo amplamente participado.

Valeu a pena MUDAR!
Vale a pena continuar a MUDANÇA!

segunda-feira, 29 de julho de 2013

O QUE MUDOU COM O MUDA (17)



MUDOU o destino da antiga Escola Primária do Alandroal
De edifício abandonado no coração da vila, a antiga escola primária do Alandroal passou a ser novamente um espaço educativo com várias vertentes. Ali está instalada a creche do Centro Social e Paroquial, e ali têm lugar grande parte das aulas da escola popular e ainda outras formações promovidas por várias entidades em colaboração com a autarquia. O espaço acolhe ainda a sede da Associação Columbófila do Alandroal.

Valeu a pena MUDAR!
Vale a pena continuar a MUDANÇA!

domingo, 28 de julho de 2013

DO RELATÓRIO DO TRIBUNAL DE CONTAS (4)


22. Verifica-se a saída de dinheiro da conta n.o 00000118430, da Caixa Geral de Depósitos, em 15 momentos distintos, ocorridos entre 20 de Setembro de 2005 e 13 de Janeiro de 2009, no montante global de €19.460,03, sem que tenha sido apresentada documentação que justifique os movimentos financeiros em causa, o respetivo destino ou finalidade, não se podendo sequer aferir se correspondem a despesas legais e regulares que se enquadrem nas atribuições do município e constituem pagamentos legais e contratualmente devidos ou se correspondem a adiantamentos efetuados sobre a conta bancária do município através de cash advance, sem que lhe correspondam qualquer aquisição de bens e serviços.
A situação poderá configurar eventual desvio de dinheiros públicos, infração financeira prevista no n.o 3 do art.o 59 da Lei n.o 98/97, de 26 de Agosto, com as alterações introduzidas pela Lei n.o 48/2006, de 29 de Agosto, incorrendo os responsáveis em eventual responsabilidade financeira reintegratória e sancionatória, prevista na alínea d) do n.o 1 do art.o 65.o da citada Lei (vide ponto 3.2.1);

TEXTO PARA PUBLICAÇÃO - HÉLDER SALGADO


Pedras de Ara.

Simbolizando o grupo de pessoas que se deslocou, em 20-07-2013, do Alandroal até ao Museu Nacional de Arqueologia poderemos, sem esforço algum, imaginar o pagamento de um tributo ao Deus Endovélico.
Pensando ou refletindo com mais moderação, poderíamos recuar no tempo e encontrar ainda outros Deuses.
Transporta-nos esta longínqua crença ou fé, sempre navegando nas doces, ora tranquilas ora revoltas, águas do Lucefécit, até aos nossos dias, até à Boa-nova.
O que realça desta imaginária viagem no tempo, alcançada em testemunhos reais e que naquela data começou a ter foros de consistência, com a assinatura do protocolo entre o Município do Alandroal e o Museu Nacional de Arqueologia, consubstanciando o projeto Endovélico, é a viragem cultural que proporcionará uma maior e melhor visão concelhia, a desenvolver dentro e fora do Concelho.
As “pedras de São Miguel da Mota” retornarão à sua freguesia como uma mais-valia turística/cultural, que poderá ajudar o Concelho a sair da masmorra que nesta área há décadas se encontra, combatendo a sua acentuada desertificação.
Desejo, como qualquer amante da Região, que o projeto, ainda no berço, cresça sadio em desenvolvimento de continuidade na MUDAnça e dou os meus parabéns ao Museu Nacional de Arqueologia, ao executivo MUDA e a todos os envolventes que contribuíram e continuarão a contribuir no renascer da esperança do Concelho, avido e tão necessitado de desenvolvimento.
Helder Salgado
21-07-2013

O QUE MUDOU COM O MUDA (16)



MUDOU a política de relações com o exterior.
Havia uma política de geminações com países de África, América do Sul e Caraíbas que custou milhões de euros ao município, e que em 8 anos não trouxe retorno, investimento ou qualquer vantagem conhecida para o concelho e serviu apenas para que o anterior presidente quase vivesse no estrangeiro à conta do dinheiro público e longe do seu local de trabalho. Em contrapartida, cá dentro, a câmara quase não se relacionava com os seus vizinhos.
Esta política foi totalmente invertida. Os contactos com o estrangeiro estão a ser feitos através das embaixadas em Portugal e o município reforçou laços de colaboração com todos os seus vizinhos, em particular com Olivença, com quem foi assinado um convénio de colaboração para diversas
areas, em particular, desenvolvimento económico, turismo, educação e cultura.

Valeu a pena MUDAR!
Vale a pena continuar a MUDANÇA!

sábado, 27 de julho de 2013

O QUE MUDOU COM O MUDA (15)



MUDOU a importância dada ao munícipe.
Foi criado o Balcão Único de atendimento ao munícipe em Alandroal e Santiago Maior onde os municípes podem tratar de todos os seus assuntos com a câmara através de um único interlocutor. Está em preparação a extensão deste serviço a todas as freguesias.

Valeu a pena MUDAR!
Vale a pena continuar a MUDANÇA!

DO RELATÓRIO DO TRIBUNAL DE CONTAS (3)


2.2. PROCESSO A DECORRER NO DIAP DE ÉVORA E PEDIDO DE INDEMNIZAÇÃO CIVIL
O Departamento de Investigação e Ação Penal de Évora, remeteu, em 12/11/2010, ao Tribunal de Contas, certidão do inquérito com a referência NUIPC 32/07.8JFLSB, dando conta que o mesmo decorreu naquele Departamento, em que é arguido João José Martins Nabais, na qualidade de Presidente da Câmara Municipal de Alandroal, durante os seus mandatos entre Janeiro de 2002 e 1 de Novembro de 2009, por ter realizado sucessivamente “despesa pública”, de valor indeterminado, mas de centenas de milhares de euros, em violação das normas legais aplicáveis, designadamente, em viagens particulares ao estrangeiro, a maioria das vezes em classe executiva, viagens inerentes a deslocações à capital para diversão noturna que incluíram alojamento em hotéis, combustíveis, portagens e refeições e utilização de cartões de crédito titulados pela CMA para pagamento das despesas inerentes às deslocações.
No âmbito deste processo, foi concluído o inquérito e proferido despacho de acusação pelo Ministério Público, em que o arguido está indiciado de:
a) 117 crimes de peculato, previsto e punido pelos artigos 1o. 2, 3o, no1, al. i) 20o, no1 e 29o, al. f) da Lei no 34/87, de 16 de Julho;
b) 92 crimes de peculato de uso, previsto e punido pelos artigos 1o. 2, 3o, no1, al. i), 21o no 1 e 29o, al. f) da Lei no 34/87, de 16 de Julho.
Uma vez que os factos, objeto de acusação, são suscetíveis de ter repercussões financeiras nas gerências em apreciação, o TC solicitou informação atualizada ao Tribunal da Comarca do Redondo sobre o estado atual do processo no 32/07.8JFLSB, tendo este informado que o julgamento, inicialmente agendado para 21 de Fevereiro de 2013, foi adiado para data ainda não confirmada.

sexta-feira, 26 de julho de 2013

O QUE MUDOU COM O MUDA (14)



MUDOU o destino da Escola de Terena.
Estava previsto o encerremento do 1º Ciclo na Escola de Terena com a concordância e o silêncio da junta de freguesia local. O MUDA prometeu à população que tudo faria para a escola não encerrar. Promoveu-se a revisão da carta educativa para contemplar este equipamento. Desenvolveu-se um projecto técnico para o novo “Pólo Escolar de Terena” aproveitando o antigo edifício, promoveu-se o concurso público para a empreitada de cerca de 300 mil euros de investimento e as obras tiveram início há cerca de um mês.

Valeu a pena MUDAR!
Vale a pena continuar a MUDANÇA!


O QUE MUDOU COM O MUDA (13)



MUDOU o apoio à educação no concelho.
A câmara passou a oferecer os manuais escolares aos alunos do 1º Ciclo logo no primeiro ano do mandato. A disponibilização de refeições gratuítas foi alargada a todos os alunos do 1º Ciclo e pré-escolar. Foi racionalizado o sistema de transportes escolares. Todos os alunos passaram a beneficiar de fruta escolar, ensino de música no pré-escolar e terapia da fala por iniciativa do município. A câmara passou a patrocinar os prémios de mérito para os melhores alunos de cada ciclo. A partir do ano lectivo 2013-2014 os alunos do 2º Ciclo vão passar a ter manuais escolares oferecidos pela autarquia.

Valeu a pena MUDAR!
Vale a pena continuar a MUDANÇA!

sábado, 20 de julho de 2013

O QUE MUDOU COM O MUDA (12)



MUDOU a relação da Câmara com os Bombeiros Voluntários.
Durante 8 anos a Associação Humaniária dos Bombeiros Voluntários do Alandroal não recebeu um cêntimo da câmara para apoiar as suas actividades. Neste mandato, entre outros apoios pontuais, foi criado um protocolo de colaboração que atribui uma verba mensal acima dos 1000 euros para as actividades de apoio à população na esfera das competências da câmara. A câmara suporta 50% dos vencimentos da Equipa de Intervenção Permanente (EIP), ofereceu aos bombeiros um barco para intervenção no Alqueva, assim como equipamentos de mergulho e está a pagar a obra dos arranjos exteriores do quartel que estavam por fazer há quase 20 anos (1995). Os bombeiros têm sido inexcedíveis nas suas respostas e existe hoje, entre as duas instituições, uma boa relação de colaboração que se traduz em vantagens para a população.

Valeu a pena MUDAR!
Vale a pena continuar a MUDANÇA!

DO RELATÓRIO DO TRIBUNAL DE CONTAS 2


Serviços médicos cubanos
42. A contratação de serviços médicos cubanos que, nos anos de 2008 e 2009, ascendeu globalmente ao valor de € 86.630,06 e com a inerente aquisição de viagens de avião e alojamento, no montante global de € 88.272,27, sem recurso a qualquer procedimento concursal, autorizadas pelo então PCMA, são ilegais e suscetíveis de configurar eventual responsabilidade financeira sancionatória, nos termos do disposto na al. b) do no 1 do art.o 65o da Lei no 98/97, de 26 de Agosto (vide ponto 3.4);
43. O então PCMA participou em todas as deslocações realizadas a Cuba, tendo pago refeições, serviço de hotel, aluguer de viaturas e combustível através de cartão de crédito titulado pela CMA, no montante global de € 4.107,81.
As despesas e os pagamentos em causa foram realizados sem qualquer justificação quanto à efetiva necessidade e ao interesse público subjacente à respetiva realização, não respeitando as regras relativas à realização de despesas, previstas no ponto 2.3.4.2 al. d) e ponto 2.6.1 do POCAL.
O pagamento destas despesas, sem que nenhuma norma legal o permitisse, consubstancia um pagamento indevido por não traduzirem quaisquer contrapartidas para o município, situação passível de eventual imputação de responsabilidade financeira reintegratória e sancionatória, nos termos do no 4 do artigo 59o e da al. b) do no1 do artigo 65o, ambos da LOPTC (vide ponto 3.4);

(Auditoria Financeira ao Município de Alandroal - Exercício de 2009)

quinta-feira, 18 de julho de 2013

O QUE MUDOU COM O MUDA (11)



MUDOU a projecção da gastronomia  local.
Foi criada a “Mostra Gastronómica do Peixe do Rio” que em 4 edições envolveu de forma crescente restaurantes, cafés, alojamentos, pescadores e munícipes em torno da dinamização da economia local numa mistura de tradição e inovação que já criou para o concelho do Alandroal um lugar inquestionável na gastronomia do peixe do rio do Alentejo. Lugar que era seu por direito e tradição mas que faltava concretizar. Hoje “Alandroal” é também sinónimo de “peixe do rio” para cada vez mais pessoas em todo o país. Esta mostra tem ajudado a promover a restante tradição gastronómica do concelho e já contribuiu para a criação de novos pratos de peixe e novos doces regionais.

Valeu a pena MUDAR!
Vale a pena continuar a MUDANÇA!

NOTÍCIAS CMA


Alandroal: Município e Museu Nacional de Arqueologia Assinam Protocolo de Colaboração para o Endovélico




No próximo dia 20, pelas 15 horas, nos claustros do Mosteiro dos Jerónimos, em Lisboa, a Câmara Municipal de Alandroal e o Museu Nacional de Arqueologia formalizam um acordo de parceria de grande importância para a arqueologia e cultura do concelho numa cerimónia aberta a todos os interessados.
Num momento que poderemos considerar histórico, no espaço onde está exposta a parte mais importante do espólio do Endovélico, as duas instituições assinam um compromisso para o acompanhamento científico do processo de criação do futuro museu no concelho do Alandroal e para a partilha do espólio.
Sendo certo que algumas peças são consideradas “tesouros nacionais” e nunca poderão deixar o Museu Nacional de Arqueologia, também é verdade que o vasto espólio associado a esta divindade permitirá a partilha de originais e o desenvolvimento de réplicas de modo a constituir um núcleo museológico  verdadeiramente representativo.
Para o presidente da câmara, João Grilo, este é o resultado de 4 anos de intenso trabalho na estratégia de valorização do património local e que, no que ao Endovélico diz respeito já se traduziu na criação do Centro de Estudos do Endovélico e na recente apresentação do projecto do futuro museu. Nesta sequência, este dia vai marcar, segundo o autarca, “o início do regresso do Endovélico e da sua memória a casa, mais de 100 anos depois de deixar o concelho para ter de novo um papel central na vivência local, não através do culto – como há 2000 anos atrás – mas agora através do contributo para o desenvolvimento local.

terça-feira, 16 de julho de 2013

O QUE MUDOU COM O MUDA (10)



MUDOU a abordagem ao Endovélico no contexto da cultura local.
Até há 4 anos não havia uma estratégia para o Endovélico como valor cultural do concelho. Nestes 4 anos foi criado um evento de promoção do concelho assente no seu imaginário (“Festival Terras do Endovélico”) que já teve 3 edições, foi criado o Centro de Estudos  do Endovélico, foi produzido o documentário “Por Terras do Endovélico”, foi desenvolvido e apresentado o projecto de arquitectura do futuro “Centro de Interpretação do Endovélico” – museu a construir em Terena e vai ser formalizado um protocolo de colaboração entre o município e o Museu Nacional de Arqueologia para o acompanhamento científico e a partilha do espólio.

Valeu a pena MUDAR!
Vale a pena continuar a MUDANÇA!

segunda-feira, 15 de julho de 2013

MUDA CONVIDA! RECOLHA DE ASSINATURAS PELO CONCELHO



Caros amigos,
Juntem-se a nós na recolha de assinaturas para o Movimento que continuamos a fazer pelo concelho.

Próximos locais:

Cabeça da Carneiro, dia 17 de Julho, Quarta-feira, 19h00, junto ao Café "O Rui" 
Juromenha, dia 23 de Julho, Terça-feira, 19h00, junto à Junta de Freguesia


Divulguem! Compareçam! Contamos convosco!

domingo, 14 de julho de 2013

SOBRE O RELATÓRIO DO TRIBUNAL DE CONTAS - ANO 2009


Ao longo das próximas semanas vamos publicar aqui alguns excertos do relatório para esclarecimento da população e para que cada um tire as suas conclusões, mas, desde já, o MUDA conclui e esclarece:

1. Existem diferentes graus de responsabilidade dos diferentes intervenientes. O relatório atribui responsabilidade EXCLUSIVA, em todas as situações relacionadas com viagens, cartões de crédito e outras despesas não justificadas ao anterior presidente.

2. Noutras questões em que a responsabilidade é partilhada, ela é partilhada em igual medida por todos os restantes membros do executivo e da assembleia municipal.
Ou seja, para o Tribunal de Contas e no que ao exercício de 2009 diz respeito, os vereadores João Grilo e Joaquim Galhardas tem responsabilidades IGUAIS às dos vereadores Manuel Pisco Lopes e António Inácio Gomes, assim como de todos os membros da assembleia municipal.

3. Torna-se evidente que muitas das questões em que o anterior presidente é visado resultam de decisões UNILATERAIS e EXCLUSIVAS do mesmo ou em conjunto com alguns funcionários e nunca passaram pelas reuniões de câmara ou de assembleia municipal.

4. O MUDA congratula-se por o relatório do Tribunal de Contas vir confirmar todas as irregularidades que foram denunciadas pelo Movimento em tempo oportuno, mas que na altura foram entendidas por muitos como interesse politico, exagero ou oportunismo.

5. O MUDA congratula-se também por todo o esforço de correcção destas situações que o actual executivo começou no primeiro dia de mandato e pela INTERRUPÇÃO IMEDIATA de todas as práticas ilegais ou menos claras.

6. O MUDA recorda que estas situações só foram interrompidas no concelho 4 anos antes do que estaria previsto, com todas as gravíssimas consequências que isso representaria, porque João Grilo e todos os que o seguiram no MUDA criaram uma alternativa capaz de ganhar as eleições.

7. Por isso, João Grilo e o MUDA são responsáveis, isso sim, por terem libertado o concelho deste destino, quando, manifestamente, ninguém mais demonstrava capacidade para o fazer.

8. E não o fizeram por calculismo ou “para ocupar o lugar dos outros”, porque é preciso não esquecer que quando João Grilo deixou o executivo da câmara no final de Março de 2009, ninguém apostaria que poderia vir a ganhar as eleições.
Fizeram-no porque era o que estava certo fazer, independentemente das consequências, pressões e perseguições que pudessem vir a sofrer ou dos resultados que pudessem vir a obter nas eleições.

9. No MUDA compreendemos que há 4 anos muitas pessoas não estavam preparadas para nos ouvir, o choque era demasiado grande. Como agora ainda há pessoas em estado de choque com tudo o que estão a saber.
Contudo, para as próximas eleições já ninguém pode dizer que vai enganado. Só vai ao engano quem quer ou quem gosta e o “diz-me com quem andas, dir-te-ei quem és” aplica-se agora em toda a linha!

sexta-feira, 12 de julho de 2013

O QUE MUDOU COM O MUDA (9)



MUDOU a Cultura, o Desporto e a Educação para todos.
Foi criada do zero uma Escola Popular/Universidade Sénior que leva cultura, desporto e educação a cerca de 700 munícipes espalhados por todo o concelho, mais de 10% da população. Aulas de Teatro, ginástica, danças de salão, história, inglês, informática, yoga, instrumentos tradicionais chegam gratuitamente a toda a população com destaque para os mais idosos e isolados. E, em parceria com as associações, a maior parte destas aulas dão vida a muitas escolas primárias que tinham sido encerradas.

Valeu a pena MUDAR!
Vale a pena continuar a MUDANÇA!

quinta-feira, 11 de julho de 2013

DO RELATÓRIO DO TRIBUNAL DE CONTAS 1


Programa “Vamos à Disney”
41. A autarquia organizou 2 viagens para um total de 71 pessoas, entre as quais o Presidente e uma funcionária da autarquia. O encargo final efetivamente suportado pela autarquia ascendeu a € 27.702,00, ao qual acrescem € 879,82, suportados a título de ajudas de custo pagas ao Presidente e à referida funcionária da autarquia.
A despesa foi autorizada e realizada sem que se encontrasse fundamentada quanto ao respetivo interesse público. A autorização e a realização das despesas não foram precedidas, respetivamente, nem do registo do cabimento orçamental nem do registo do compromisso. A situação descrita configura a violação das normas estabelecidas na alínea d) do ponto 2.3.4.2 e dos pontos 2.6.1 e 2.8.2.9, todos do POCAL.
A factualidade descrita consubstancia a prática de infração financeira, suscetível de imputação de responsabilidade de natureza sancionatória e reintegratória nos termos previstos no artigo 65o, no1 al. b) e n.o 4 do art.o 59o da Lei n.o 98/97, de 26 de Agosto, na redação dada pela Lei n.o 48/2006, de 29 de Agosto (vide ponto 3.4);

O QUE MUDOU COM O MUDA (8)



(8) MUDOU a disponibilidade do Presidente da Câmara para os munícipes.
Para além do atendimento semanal no Alandroal e um atendimento mensal em Santiago Maior, o presidente realizou, ao longo do mandato, centenas de outros atendimentos a munícipes e funcionários fora do período estabelecido (manhã de quinta feira) sempre que a disponibilidade o permitiu quando estava pela câmara, lugar onde entra todos os dias às 08h30 da manhã e onde pode ser encontrado com grande facilidade.

Valeu a pena MUDAR!
Vale a pena continuar a MUDANÇA!

quarta-feira, 10 de julho de 2013

NOTICÍAS CMA


Alandroal: Linha Gratuita de Transporte Vai Entrar em Funcionamento

 

A partir do próximo dia 16 de Julho vai ser mais fácil descolar-se de qualquer ponto do concelho até ao Alandroal para aceder aos serviços do Centro de Saúde, das Finanças ou da Câmara Municipal (Balcão Único, Acção Social, piscinas municipais, etc.). Todos os munícipes passam a contar com a “A Linha do Alandroal – ALA”, circuito de transportes gratuito criado pelo Município para ajudar a combater o isolamento e facilitar o acesso dos munícipes, principalmente os jovens e os idosos, aos serviços da sede de concelho.

A linha é composta por três circuitos diferentes, que funcionam todas as terças, quartas e quintas-feiras, com partidas às 08:30 horas e regresso à localidade de origem às 12:30 horas. A “Linha Amarela”, que funciona às terças-feiras, faz a ligação entre Juromenha, Mina do Bugalho, Rosário e Alandroal. A “Linha Azul”, a operar às quartas-feiras, liga as localidades de Lages, Aldeia da Venda, Seixo, Cabeça de Carneiro, Montejuntos, Ferreira de Capelins, Faleiros, Monte Abaixo e Terena ao Alandroal. Já a “Linha Branca” faz o transporte entre Casas Novas de Mares, Aldeia de Pias, Marmelos, Orvalhos, Hortinhas e Terena, nas quintas-feiras.

Esta medida do Município de Alandroal destinada a facilitar a mobilidade dentro do concelho, pode ser alargada no futuro se tal necessidade se vier a justificar e o município está já a procurar articular a oferta da sede de concelho com a oferta da linha. Por exemplo, já foi solicitada à ARS Alentejo a alteração da “Consulta Aberta” do Centro de Saúde da tarde para a manhã para que os utentes da linha possam beneficiar deste serviço.

 
Fonte: Gabinete de Imprensa C.M.A.

terça-feira, 9 de julho de 2013

O QUE MUDOU COM O MUDA (7)



(7) MUDOU a atenção aos idosos do concelho.
Os idosos deixaram de ser usados para fins políticos. Em vez de viagens aos Açores, à Madeira e a Cuba que custaram centenas de milhares de euros ao município, os idosos do concelho passaram a ter os apoios do Cartão do Idoso pagos a tempo e horas, passaram a ter um programa de melhorias habitacionais, passaram a ter eco-loja e oficina móvel, passaram a ter acesso a teleassitência da Cruz Vermelha e ao programa de apoio a montes isolados dos Médicos do Mundo. Passaram ainda a ter uma Universidade Sénior/Escola Popular com atividades em todo o concelho e vão passar a ter, muito em breve, transporte gratuito entre casa e a sede de concelho um dia por semana.

Valeu a pena MUDAR!
Vale a pena continuar a MUDANÇA!

segunda-feira, 8 de julho de 2013

MUDA CONVIDA! RECOLHA DE ASSINATURAS PELO CONCELHO



RECOLHA DE ASSINATURAS PELO CONCELHO

Caros amigos,
Juntem-se a nós na recolha de assinaturas para o Movimento que continuamos a fazer pelo concelho.

Próximos locais:

Casas N de Mares, dia 09 de Julho, Terça-feira, 19h00, junto ao café do Arlindo
Terena, dia 10 de Julho, Quarta-feira, 19h00, junto ao Café do Fragas
Hortinhas, dia 11 de Julho, Quinta-feira, 19h00, junto ao Centro Cultural
Alandroal, dia 13 de Julho, Sábado, 09h00, junto à Pastelaria "Endovélico"
Mina do Bugalho, dia 14, Domingo, 09h00, junto ao Centro Cultural

Divulguem! Compareçam! Contamos convosco!

NOTÍCIAS CMA


Município de Alandroal Criou Programa de Vigilância de Florestas

 

Num ano em que o Governo de Portugal decidiu não avançar com o seu Programa de Voluntariado Jovem para as Florestas, a Câmara Municipal de Alandroal avançou com um programa próprio de Vigilância das Florestas do concelho, de forma a minimizar a possibilidade de ocorrência de incêndios e permitir a ocupação dos jovens do concelho nesta altura do ano.

O programa, que está no terreno desde o passado dia 01 de Julho, surge enquadrado pelo Programa de Ocupação Temporária de Jovens, que o Município de Alandroal também criou recentemente, com o objectivo de permitir uma ocupação saudável para os jovens do concelho em situação de desemprego. 

Os jovens vigilantes, que receberam formação com elementos da GNR e da Protecção Civil Municipal, trabalham em equipas de 2 elementos e têm como principal missão vigiar as matas do concelho, a partir de pontos fixos. Em caso de ocorrência, os vigilantes contactam imediatamente os Bombeiros Voluntários de Alandroal e a GNR.

Para o Município de Alandroal, esta é uma medida de vital importância para o concelho, uma vez que permite, por um lado, uma ocupação saudável para os jovens desempregados do concelho e, por outro lado, a vigilância das matas e florestas do território durante o período de verão.
 
Fonte: Gabinete de Imprensa C.M.A.