Seguir por Email

sexta-feira, 5 de junho de 2009

VEREADOR GALHARDAS RENUNCIA

Depois de em Março passado João Grilo, Vice-Presidente da Autarquia, ter deixado o executivo liderado por João Nabais (PS) alegando dificuldades de trabalho e falta de identificação com o rumo do projecto, surge agora Joaquim Galhardas, o outro vereador a tempo inteiro do executivo socialista, a anunciar a sua renúncia ao mandato com base nos mesmos motivos e com efeitos a partir do final do mês de Maio.
O primeiro mandato do actual presidente já tinha sido caracterizado pelos abandonos de dois vice-presidentes e um vereador. O primeiro vice-presidente seis meses após a tomada de posse (José Cavacas), o vereador seis meses antes do final do mandato (João Coelho) e a segunda vice-presidente no final desse primeiro mandato (Maria de Jesus Patacão).
Os dois ex-vereadores estão agora entre os fundadores de um movimento independente, o MUDA – Movimento Unidade e Desenvolvimento de Alandroal, mas negam que as suas saídas tenham sido premeditadas para dar corpo a este movimento. “O MUDA é uma consequência da enorme vontade de mudança de rumo por parte da população, associada ao facto de faltarem alternativas credíveis a uma gestão que não está a resolver os problemas dos alandroalenses”, afirmou João Grilo. “Se fossemos apenas dois ex-vereadores despeitados à procura de vingança, como somos acusados, muito poucos nos seguiriam neste caminho, e não é isso que está a acontecer!”

1 comentário:

Rita G. disse...

" Contra factos não há argumentos"
É esta a minha resposta para quem me questiona sobre o meu apoio para com o MUDA.
Não vale a pena teimar com pessoas que não tem opinião formada ou preconceitos prévios, quando não se possui estrutura mental ou ideológica capaz de assimilar, toda a informação transforma-se em ruído.
Em contrapartida, quando dispomos de ideias firmes e definitivas, somos muito mais acolhedores para todas as informações que as confirmem e bastantes desconfiados para com as que a contrariem.
Por mais que se tente mostrar a força dos factos há quem teime em apenas olhar em frente,resistem a estas informações(não conformes) como sendo mentiras,não vale a pena.
Os alemães que quiseram ignorar a existência dos campos nazis ignoraram -na,em 1945 as populações alemãs receberam como mentiras de propaganda as imagens e relatos dos campos da morte.
Não há a capacidade de reflectir, de pensar se certas atitudes ou comportamentos estão certos ou não,apenas dizem que sim e compartilhar das ideias e até a consciência da maioria das pessoas das suas relações sem se questionarem até sobre a sua própria consciência .
Mas que digo eu uma simples empregada de mesa, como foi dito do meu marido ;"NEM PARA VARRER"...risos.....