Seguir por Email

quinta-feira, 19 de abril de 2012

NOTÍCIAS CMA


Alandroal: Município Apurou Despesas Totais com Operações em Cuba
46 Operações e Duas Reabilitações Custaram Mais de 250.000,00 Euros


Depois das notícias surgidas nas últimas semanas em torno desta questão, a autarquia decidiu apurar com o máximo de rigor possível todas as despesas realizadas no anterior mandato no âmbito da chamada “Operação Milagre”, que envolveu a deslocação de munícipes a Cuba para realização de operações oftalmológicas. Para além de se evocar a falta de resposta do Serviço Nacional de Saúde, as operações em Cuba foram apresentadas como sendo muito mais baratas do que em Portugal.

O Sector de Contabilidade do município alandroalense apurou agora todas as despesas, que foram apresentadas a Reunião de Câmara como informação, e que se distribuem, principalmente, da seguinte forma: cirurgias/reabilitações: 83.595,00 €; viagens/alojamento: 119.025,53 €; ajudas de custo: 28.702,67 €; passaportes: 3.376,00 €; comunicações (telemóveis): 7.071,03 €; seguros: 3.095,42 €; taxas de aeroporto: 2.198,39 €.

Assim, as operações oftalmológicas realizadas a 46 pacientes, na sua esmagadora maioria rotineiras operações a “cataratas” (43), e dois conjuntos de sessões de reabilitação para duas crianças (3 meses para uma e 4 meses para outra) custaram à câmara do Alandroal, pelo menos, 251.028,19 euros. As despesas totais serão ainda muito superiores uma vez que fora desta contagem estão todos os gastos realizados com as viagens de triagem à clínica do Algarve, as intervenções ali realizadas e alojamentos correspondentes, e alguns gastos com cartão de crédito que não foi possível apurar.

As quatro viagens a Cuba realizaram-se entre Abril de 2008 e Março de 2009 e em todas elas esteve presente, para além dos pacientes, o presidente da câmara da altura e uma comitiva por si seleccionada, facto que foi o principal contributo para fazer disparar os valores envolvidos. Só para este fim o anterior presidente esteve ausente do município pelo menos dois meses. Viajou com todas as despesas pagas, cartão de crédito do município (cancelado no início do actual mandato) e em algumas ainda a receber ajudas de custo, o que duplicava o seu vencimento sem estar no Alandroal.

João Grilo, actual presidente, reafirma que nunca esteve em Cuba, nem no âmbito destas operações nem em qualquer outra circunstância e refere ainda que “250.000,00 euros correspondem a 2 anos e meio de todos os apoios dados aos mais de 800 idosos que beneficiam do Cartão Social do Idoso (com um ano de pagamentos em atraso no final do anterior mandato) ou para pagar na totalidade a obra de requalificação da Escola de Terena que não tem financiamento e tem crianças a ter aulas em contentores. Cada um que tire as suas conclusões. É por estas e muitas outras semelhantes que o concelho está nesta dificílima situação financeira.”

O Município ainda tem em dívida aos Serviços Médicos Cubanos cerca de 36.850,00 euros, dívida que estava na câmara desde Fevereiro de 2009 e que nunca foi paga. Neste momento a Autarquia aguarda o relatório da auditoria realizada pelo Tribunal de Contas ao ano de 2009 para saber o que fazer a esta dívida.
Fonte: Gabinete de Imprensa CMA

1 comentário:

Anónimo disse...

Se houver justiça, terá forçosamente que pagar por todos estes abusos cometidos contra o povo.

E mais, o ódio que fomentou e continua a fomentar nos mais ou menos vulneráveis, também vai ter que prestar contas por isso um dia.

A corrupção e o ódio sempre estiveram ligados, não são separáveis. Uma sociedade não pode resistir muito tempo a este flagelo corrosivo.

Os verdadeiros ideais de Abril foram atraiçoados pela grande corrupção e, aos poucos, todos os direitos têm vindo a ser retirados.

Não se pode dar uma segunda oportunidade a políticos corruptos, dessa firme determinação depende uma vida mais justa para todos os portugueses.

Uma nova revolução poderá estar em marcha...

Viva o 25 de Abril!