Seguir por Email

sábado, 29 de agosto de 2009

FESTAS OU FESTANÇAS? Músicos, Ilusionistas e Outros Artistas


Muita “água” tem corrido a propósito do “estado das contas” da autarquia alandroalense. Fala-se em esbanjamento, endividamento muito acima das possibilidades e de completa ausência de preocupação com a sustentabilidade financeira da mesma (comprometendo-se os próximos 20 anos, ou mais, de gerações de alandroalenses!).
Os números que mostram o verdadeiro caos financeiro da Autarquia ainda vão aparecer. Até lá, vamos usar um indicador muito mais perceptível por todos: o bom senso.
O bom senso, e uma análise aos concelhos vizinhos e ao país real, diz-nos que é completamente impossível manter o ritmo de gastos e ostentação por muito mais tempo. Quem é que dos leitores não sabe o que custa gerir o orçamento familiar até ao final do mês em tempos difíceis para todos? Não somos piores gestores, apenas mais responsáveis.
Todos sabemos que as receitas da autarquia são fixas e limitadas. Resumem-se às transferências do Orçamento de Estado, aos impostos cobrados e às receitas próprias resultantes da cobrança de taxas e licenças. Poderíamos ainda falar de fundos comunitários, mas esses, são aprovados para fins específicos, correspondem, em regra, a 70% de um determinado projecto e obrigam a câmara a suportar os restantes 30%, ou seja, despesa.
Ora, sabemos que as transferências do Orçamento de estado para a Câmara do Alandroal não aumentaram nos últimos anos. Sabemos que a actividade económica do concelho não aumentou nestes anos, logo as receitas de impostos também não. E sabemos que as receitas próprias são residuais e não vão além de 1% do orçamento.
Por outro lado, todos sabemos que a despesa da autarquia não tem parado de aumentar, quer por boas quer por más razões. Mais obras, mais equipamentos, mais funcionários, mas também mais festas, mais viagens, etc…
Portanto, diz-nos o bom senso que se as receitas não crescem e a despesa dispara, só há uma forma de continuar a manter as aparências: mais dívida! É assim numa câmara como em qualquer orçamento familiar.
Não há outra forma de explicar a gestão da autarquia nos últimos 8 anos. Acumulação de dívida.
Muitos dirão, “não se pode fazer obra sem acumular dívida”! Da mesma maneira que muitos de nós não conseguimos ter a nossa casa ou o nosso carro se não nos endividarmos para isso. De acordo. Mas será que este município se endividou até aos limites do impossível nos últimos anos para ter a “casa” ou o “carro” de que precisa para fazer a sua vida? Ou será que grande parte dessa dívida foi para as viagens, as festas, os luxos mundanos e o essencial ficou por fazer? Quando confrontarmos os números da dívida total da câmara com o que foi efectivamente gasto em “obra” vamos ter uma triste surpresa! E mesmo dessa “obra”, que parte dela é estruturante, geradora de emprego, dinâmica económica ou riqueza futura? Pois…muito pouco! Não são as rotundas com repuxos e os arranjos urbanísticos de praças que mudam um concelho e o preparam para o futuro!
Mas perguntam muitos: Como pode este cenário ser real se a cada data festiva somos confrontados com um programa de festas, sempre da responsabilidade única da autarquia, cada vez mais milionário? Não se conhecem limites orçamentais nem preocupações de transparência e clareza na gestão dos dinheiros públicos. Só interessa manter a ilusão de grandiosidade e se os alandroalenses se deitam cheios de orgulho por ter assistido na sua terra a um espectáculo com o Tony Carreira, acordam com os mesmos problemas de sempre no dia a seguir! É só disto que queremos viver? De ilusões de grandeza?
Quantas vezes já ouvimos que os alandroalenses ”têm o mesmo direito a assistir a grandes concertos que os habitantes dos concelhos vizinhos”? De preferência a custo zero, porque aqui há muitas dificuldades económicas mas, atenção, que já não somos pobres!
Também se quer fazer passar a ideia que “as verbas orçamentadas são para ser gastas, em exclusivo, em festas e festanças, touradas e concertos”. Nada mais errado! O que se gasta em viagens podia ser gasto em acção social, por exemplo. É a autarquia que define as suas prioridades na gestão orçamental!
O bom senso falará mais alto e a teoria do “absurdo” tem os dias contados.
Já agora, por curiosidade, não se conhece no concelho do Alandroal quaisquer necessidade de equipamentos colectivos de apoio aos mais idosos ou às crianças e jovens, de saneamento ou abastecimento de água, de famílias com carências várias?
Conversa gasta, para quem quer passar a ilusão de que tudo está bem e que o Alandroal evoluiu e até já está desenvolvido e à altura dos concelhos vizinhos, apesar de ter partido em clara desvantagem... o Tony até já actuou por duas vezes no concelho em pouco menos de 4 anos!
O Tony Carreira actuou em Reguengos nas Festas de Santo António de Junho passado. A autarquia estabeleceu um preço de entrada de 5 euros e estiveram milhares de pessoas a assistir. Fontes da autarquia local garante que esta receita pagou o espectáculo e ainda ajudou a pagar a restante festa. Mas estamos a falar de Reguengos, um município com pouca disponibilidade financeira, nada que se compare com o Alandroal!


Após a formalização da candidatura do MUDA às eleições autárquicas 2009, estamos nesta altura a preparar o Programa Eleitoral. O nosso primeiro objectivo é envolver a população pelo que, o MUDA convida todos os interessados a participar na elaboração do seu Programa Eleitoral. Queremos, igualmente, apresentar um Programa Eleitoral que seja o reflexo do nosso projecto de futuro para o concelho de Alandroal. Contudo, pretendemos acima de tudo “construir” um projecto viável e sustentável que assente numa realidade objectiva e mensurável, que não tenha por detrás truques virtuais ou teorias e máquinas de fabricar “absurdos”. É por essa razão que tornamos público o pedido formal de informação de carácter financeiro e económico apresentado a todos os órgãos autárquicos do concelho, Câmara e assembleias de freguesia. Acreditamos que só com transparência se pode construir um projecto de futuro para o nosso concelho.
João Grilo


Nota: Uma última nota para mais uma “festança” que se realizou ontem no Parque de Feiras, prova de que a crise também não chegou ao partido no poder. Parece que foi uma festa do PS, mas há coisas difíceis de perceber: a tenda foi montada pela mesma empresa que montou as da Expo, de tal maneira que o estrado em que a mesma assenta ficou logo desde essa altura. A existência de oposição é uma chatice porque obrigou a desmontar e montar uma tenda que podia ter ficado logo montada e que já começou a ser desmotada hoje! Gostávamos de saber quanto pagou o PS por ela! Os funcionários da câmara fizeram limpezas, trataram do som, fizeram convites, venderam senhas, etc…Se estiveram 500 ou 1000 ou qualquer coisa entre estes dois números todos sabemos porquê e nada disso nos impressiona. Contando com os muitos que vieram de fora (a “máquina” do partido não brinca em serviço), os muitos que se sentem obrigados a “picar o ponto” não vá a sua falta ser notada e a perseguição começar, e aqueles a quem deram uma senha na certeza de que a ida ao jantar lhes garantia um futuro emprego na câmara (pois, assim mesmo!), sobra um número amargamente reduzido dos que acreditam que o Alandroal vai no bom caminho! Siga a festa!!

14 comentários:

Anónimo disse...

A toda a população do concelho do Alandroal:-
Chegou a hora de alterar este estado de coisas e de MUDAr de uma vez por todas o rumo das políticas que têm sido seguidas. Se ambicionamos um Concelho melhor para todos, está nas nossas mãos a oportunidade de o fazer com participação activa, envolvimento e empenho colectivo. A verdadeira MUDAnça só se poderá fazer com todos os que acreditam neste projecto!

Carlos Galhardas

Obs- Subscrevo inteiramente o texto e o bom senso com que foi escrito.

Anónimo disse...

Sobre a nota final- então e há 4 anos como é foi? Só acha mal agora?

O sr. João Grilo devia estar de boca fechada. Porque agora tudo é mau, tudo foi mal feito, tudo é de um despesismo enorme. Mas quando lá esteve, e mais concretamente, quando foi montada uma tenda onde se realizou uma "festa" como a que refere, e da qual beneficiou,NÃO se manifestou!!!

Que carácter... que postura senhor candidato!!

Anónimo disse...

Senhor anónimo de 29 de Agosto de 2009 17:30
Se me é permitido fazer-lhe uma pergunta em relação ao texto qual a sua opinião sobre o que está escrito, e estando em desacordo quais as alternativas que nos pode apresentar, excluindo evidentemente "então e há 4 anos como é foi? Só acha mal agora?"

Anónimo disse...

Podem dizer que estavam até 2 mil se quiserem. Mas o que conta são os que estavam do concelho e esses, nem chegavam a 300. Eu estive lá e sei. Era impressionante ver que ao redor só estavam caras desconhecidas. Diz-me uma velhota ao meu lado: do Redondo viemos 60. E de Bencatel e Vila-Viçosa também veio muita gente. Eu acredito, até porque deu bem para ver que as pessoas não eram do concelho. E viram de Évora, Borba, Estremoz e Reguengos. A máquina do PS movimentou-se bem para não mascarar o mais possível a apresntação do Nabais. Até o "Jamais" fez questão de marcar presença. Tinha prometido há uns tempos aquando da outra visita, no meio de alguns copitos de tinto Boa Nova. Tenho de ir, não vá a santinha fazer das suas!
Só na mesa "presidencial", estavam sentadas 24 pessoas. Apenas 6 eram do concelho... por aqui se vê.

Anónimo disse...

Este anónimo das 23:07, das duas uma....ou é burro ou estúpido.
Para vir dizer que estavam 300 pessoas!!!!!
Independentemente das politiquices, não podemos ser cegos a este ponto.
Eu estive lá e vi que se não estavam mil, estariam 950. Excepto na mesa "presidencial", onde é normal haver convidados de fora, concerteza que 90% das pessoas eram do concelho!
E é mau ter amigos de fora do concelho que vêm dar o seu apoio???
Pessoas que embora não residam no concelho,por algum motivo estão ou estiveram ligados ao Alandroal, como professores, bancários, etc.
Aprenda a viver em DEMOCRACIA e não olhe só para um lado!!!!

Anónimo disse...

"Aprenda a viver em DEMOCRACIA e não olhe só para um lado"
A pessoa que fez esta afirmação, obviamente apoia o nabais. Sendo assim, será que sabe o que é a democracia? Se ser democrata é fazer politica como o ditador sem escrúpulos que defende, ou a pessoa é burra, ou é estúpida...ou ambas as coisas!

Mas apenas 6 votam no concelho. Eu sei poque os vi lá todos.
Lá por terem nascido cá,não significa que votem cá. E o voto é que conta. Que interessa que 10.000 pessoas de fora do concelho apoiem o nabais? O azar dele é que nem 300 votantes lá tinha. E como ele sabia disso e o PS também, fizeram esta mobilização toda de gente estranha para iludir a quem? A eles apenas.
Agora, vale tudo por tudo. Estão desesperados.
E a questão dos velhotes do Redondo e arredores, juro que é verdade.

Anónimo disse...

Este movimento do MUDA é a maior vergonha que o concelho do Alandroal já teve, a maioria da lista são pessoas frustradas e que foram postas de parte pelo nosso presidente NABAIS por serem incompetentes, mesquinhas e sobretudo aproveitadoras e mentirosas, o sr Grilo devia agradecer ao NABAIS o facto de alguma vez poder ter sido vereador, situação que nunca mais se repetirá, e em vez disso atraiço-o constantemente. Agora digam-me qual dos primeiros 5 candidatos deste misero movimento já fez e o que pelo concelho do Alandroal! Todos voces foram postos de parte pelo NABAIS e agora querem vingança, não querem o desenvolvimento do nosso concelho, a mim e à maioria do alandroalenses não enganam e dia 11 de outubro a resposta será dada.
Porque é triste criticarem que não estavam 1000 pessoas no jantar do NABAIS quando voces no vosso tinham 200 e dessas so metade votam, a inveja mata, mas esta há-de ser a primeira de muitas, em vez de criticarem o que se faz e o que não se faz apresentem soluções, que até agora ainda ninguém sabe ao que se propõem. Boa sorte para 11 de outubro que bastante vão precisar e esperamos que vos sirva de lição de vida.

Anónimo disse...

Para meditação, principalmente
para quem escreveu.
"SÃO PESSOAS FRUSTADAS E QUE FORAM POSTAS DE PARTE PELO NOSSO PRESIDENTE NABAIS, POR SEREM INCOMPETENTES, MESQUINHAS"
Da ilação, revelam, no minimo, duas perguntas.
1ª foram escolhidas pelo presidente
por serem incompetentes?
2ª ou teve o presidente competência
quando da escolha?

Torigaldo.

Anónimo disse...

Eu sou de fora e tb lá estive. Independentemente dessas discussões é impressionante o número de alandroalenses nas listas do Nabais! Nas do MUDA não sei quantos estarão, mas nas que referi anteriormente são alguns 180. E esses não são de fora!!

Anónimo disse...

Assim não vão lá, camaradas. Eu até comecei por ter alguma simpatia por este movimento mas estão a deitar por terra toda a credibilidade incial.
Eu estive lá a trabalhar e aquilo não tinha estrado. Até achei mal por causa do pó.
Então e vocês agora dizem que o estrado estava lá desde a Expo?
Sinceramente, para quem se quer afirmar como alternativa de seriedade, parece-me no mínimo pouco sério.
Ou mudam de estratégia ou caminham para o desastre.
É que assim, se alguma das pessoas que lá esteve fosse ainda indeciso,depois desta mentira, já se decidiu concerteza.

Anónimo disse...

Discutamos programas e estratégias a seguir por cada um dos partidos e não quantas pessoas estavam em cada jantar de apoio a uns e outros. As pessoas são dissimuladas e na hora de votar nem sempre são coerentes com aquilo que demonstram no dia-a-dia.O que interessa saber é aquilo que se propõem fazer os candidatos. Pessoalmente não me agrada a política seguida pelo actual Presidente e não me parece que tenha feito nada realmente estruturante e decisivo para a melhoria de vida dos habitantes. Sim, as piscinas e o Fórum e a Biblioteca que nem está pronta. Mas isso faz a diferença na hora de decidir ficar ou sair? É urgente saber o que propõe o MUDA. Vamos mesmo MUDAr ou continuar na mesma? Estou ansiosa e esperançadamente á espera...

Anónimo disse...

O anónimo que fala do estrado só vem desmentir isso? Reconhece assim que tudo o resto que o Prof Grilo diz sobre o jantar é verdade, não? Pudera, todos sabemos que é.Coisas bem mais graves para a democracia no nosso concelho. Estou farto da podridão que se instalou na nossa terra e só por lutarem contra isso os do MUDA já tem a minha admiração.Que a empresa é a mesma da EXPOGUADIANA isso é e a dúvida quanto ao pagamento vai ficar sempre no ar. Não basta ser-se sério, tem que se parecer, e nada do que envolve estes personagens parece sério nem à distância!

Anónimo disse...

Em relação aos comentários venho comentar que sinceramente não me interressa se um determinado partido numa apresentação dos seus candidatos para a Camâra Municipal do Alandroal, tem 300, 600 ou 1000 simpatizantes num jantar de apoio a um determinado candidato. Igualmente não me interessa se na tenda onde foi servido esse jantar havia ou não um estrado que tinha ficado da Expo-Guadiana e, se havia ou não 50, 100 ou 150 convidados que não exercem direito de voto no nosso concelho. O que neste momento deve interessar a todos os que apoiam o MUDA é apresentar sugestões... Discuti-las e procurar um ponto de equilíbrio para apresentar aos eleitores um programa com sustentação, realista, não prometendo aquilo que sabe não poder cumprir... respeitando e fazendo respeitar os princípios democráticos consagrados na Constituição da República Portuguesa, e mostrar abertamente a diferença programática para outros concorrentes às eleições autárquicas de 11 de Outubro próximo. Penso que os nossos esforços devem ser aproveitados na construção de um concelho mais justo e digno para todos, e não concentrar a nossa atenção em operações de marketing que nada nos dizem... Muito menos alguma coisa de novo nos trazem.

Um abraço,

Carlos Galhardas

Anónimo disse...

Eu estive no jantar do Nabais, não por ser ou deixar de ser apoiante do mesmo,mas sim por afinidade com algumas pessoas residentes no concelho, e penso que para o bem de vocês deveriam preocupar-se com coisas realmente importantes como saneamento básico, educação, criação de emprego entre outras, e não com trivialidades como se estavam 1000 ou 2000 ou se o chão tinha ou não estrado...
Acho que está na hora de se tornarem portugueses de verdade com consciência cívica e politica.
Não façam com que quem é de fora, como eu pense que, voçês, REPITO, TODOS VOÇÊS, não passam de meio duzia de individuos que vivem no Portugal profundo e que nem capacidades têm para discutir ideias politicas...
PAREM,OLHEM, ESCUTEM E PENSEM QUAL O MELHOR CAMINHO PARA VOÇÊS E PARA TODOS NO VOSSO CONCELHO, COM DIVERGÊNCIAS E CONVERGÊNCIAS MAS SEMPRE EM PROL DA VOSSA POPULAÇÃO.


Pedro da Vera