Seguir por Email

terça-feira, 26 de maio de 2009

MUDA contra o «medo»!

Foi com este título que o Notícias Alentejo chamou à primeira página da sua newsletter de 25.05.2009 a notícia sobre o primeiro encontro do nosso Movimento.

Veja aqui a edição on-line:
http://www.noticiasalentejo.pt/

6 comentários:

Anónimo disse...

Sou trabalhadora da camara minicipal de alandroal. Gostaria que todos vos vestissem a minha pele durante apenas um dia, um dia chega para sentir o clima de inquetação, de mau estar, e de medo. Tenho muita pena de não me poder indentificar, mas tenho medo de perder o meu emprego, estou a contrato com recibos verdes. Eu como a maioria dos meus colegas sentimos grande pressão, é logo uma suspeita, basta estarem 3 pessoas a falar durante a hora de cafe. Estou a chegar ao meu limite, não foi por isto que os meus Pais lutaram, lutaram sim pela liberdade, não é este ambiente de trabalho que desejo. João Grilo, espero muito sinceramente que ganhe estas eleições.

Anónimo disse...

Estas a recibos verdes ou nos quadros?????

Hummmmmmmmmmmmmmmm

Anónimo disse...

O medo gera descontrolo e insegurança. Mas o descontrolo e insegurança não estão no M.U.D.A, mas sim noutros lados, pelos lados de Santiago Maior. Ouvi dizer que o Prefeito de santiago maior, armou um escandalo na casa do povo de Aldeia de Pias, onde decorriam consultas medicas. Chegando ao cumulo de parecer ridiculo, acusações politicas num centro de saude ???? senhor presidente da junta, onde estamos ??? isto não é o Texas, onde se anda de pistola na cintura. Estamos numa democracia, Prefeito assim não vai lá. Se quer aprender a fazer politica, tem de escolher outro professor, pois o João Nabais não serve de exemplo a ninguem.

Galvão disse...

Escrevo simplesmente como cidadão,como qualquer pessoa que tem o pleno direito à sua opinião, e não com intuito de dizer mal do que quer que seja e sim de ver, saber, e ouvir que algo não está bem.

Por tudo o que hoje em dia ouço dizer no Alandroal, por tudo o que hoje em dia falam do Alandroal, por tudo o que vejo que se passa na minha terra…

A liberdade de expressão não se dá, não se obtêm, não se tira, é simplesmente um direito que é nosso, de todos nós.

Declaração Universal dos
Direitos do Homem

Artigo 1.º
Todos os seres humanos nascem livres e iguais em dignidade e em direitos. Dotados de razão e de consciência, devem agir uns para com os outros em espírito de fraternidade.

Artigo 19.º
Todo o indivíduo tem direito à liberdade de opinião e de expressão, o que implica o direito de não ser inquietado pelas suas opiniões e o de procurar, receber e difundir, sem consideração de fronteiras, informações e ideias por qualquer meio de expressão. (Politico, Religioso, económico-social, etc)

“A única pessoa que pode MUDAr de opinião é aquela que tem alguma.“
(Edward Westcott)

Os meus escritos disse...

Costumo dizer que sou mulher do mundo porque, na realidade já muito mundo eu percorri até vir parar a esta terra que adoptei como minha para residir e trabalhar, a este local magnífico nas profundezas do Alentejo, que eu escolhi, que eu elegi.
E como cidadã identificada, como residente que já sou em Santiago Maior e não como empresária, expresso a minha surpresa desagradável, ao dar-me conta de que se vive no Alandroal algo que se passava em Portugal antes de eu começar a percorrer mundo quando tinha apenas 15 anos, estávamos então em 1969.
Mas o que é isto?????
Será que algumas pessoas ficaram paradas no tempo?????

Anónimo disse...

Ò minha senhora , a contratos com recibo verde???Acaso não sabe que o Sr. Presidente não tem neste momento niguem a recibos verdes??(sic)