Seguir por Email

domingo, 20 de novembro de 2011

INCOERÊNCIA POLÍTICA NA VOTAÇÃO DO IMI

11.11.2011, data que ficará na história da política concelhia, marcada pela incoerência, expressa em assembleia, na votação da proposta do executivo para fixação da taxa do IMI/2012 (contribuição autárquica) das forças políticas da oposição.

A força política do PS, fixou-a em 0,7 e 0,4 desde o princípio da sua (des)governação e sempre a votou, mesmo no primeiro ano de governo MUDA, com o mesmo valor.

Naquela data votou contra a continuidade de fixação daqueles valores, ignorando o estado devedor da autarquia, provocado pela sua estadia no poder camarário, demonstrando mais uma vez a sua contínua incapacidade e irresponsabilidade perante a problemática concelhia.

Alvorou-se em defensor da coerência a CDU. Ficar-lhe-ia bem essa defesa, se não tivesse a consciência do estado devedor da autarquia, que tem, tendo-o demonstrado em S. Brás do Matos quando propôs o não pagamento das senhas de presença e de transporte aos deputados municipais. Assim...

A inconsciência política da oposição, embora provoque um desequilíbrio financeiro, com aquela votação, em nada mudará os propósitos da governação MUDA em levar esta autarquia a ser uma entidade respeitável e credível.

Hélder Salgado
13.11.2011

Sem comentários: