Seguir por Email

segunda-feira, 20 de agosto de 2012

NOTÍCIAS CMA


Obra de Requalificação do Interior do Castelo Segue a Bom Ritmo

Os trabalhos de prospecção arqueológica marcaram as primeiras fases da obra e revelaram, tal como era esperado, que o espaço designado como “antigo cemitério” serviu, de facto, esta finalidade desde muito cedo na história do castelo do Alandroal. De entre os objectos encontrados neste local destacam-se algumas “estelas funerárias” que estão agora a ser estudadas.

Para além de um “silo” comum com cerca de 2 metros de diâmetro, foram ainda identificadas algumas estruturas correspondentes a “muros” ou fundações de antigos edifícios com pouca monumentalidade e difíceis de classificar, que serão novamente recobertos e preservados no decurso da obra.

Para além do obrigatório acompanhamento arqueológico a cargo da autarquia, a obra está a ser acompanhada pelos técnicos da Direcção Regional de Cultura/IGESPAR que na última visita técnica efectuada, em 23 de Julho, se mostraram plenamente satisfeitos com as metodologias e soluções até aqui adoptadas e com o andamento geral dos trabalhos.

Importa salientar que esta obra não se iniciou sem que estivesse assegurado o parecer favorável das entidades competentes, conseguido após várias reuniões de articulação entre os técnicos da Direcção Regional de Cultura, os projectistas e os técnicos da autarquia.

Todos os achados mais relevantes, assim como o registo fotográfico e em vídeo desta fase da obra serão, em fase posterior, reunidos num Centro Interpretativo do Castelo do Alandroal, um pequeno núcleo museológico dedicado à história deste imóvel classificado como monumento nacional e que será criado no interior do mesmo.

A intervenção agora em curso corresponde apenas à primeira fase de um plano da autarquia para a total recuperação e dinamização cultural, social e turística do castelo do Alandroal que passa, nas fases subsequentes, pela revitalização do restante espaço público (ainda propriedade privada), pela recuperação do “caminho de ronda”, acesso à torre de menagem e instalação do centro interpretativo.

Fonte: Gabinete de Imprensa C.M.A.

Sem comentários: