Seguir por Email

sábado, 17 de julho de 2010

Ex-autarca do Alandroal suspeito de corrupção

Por Maria Antónia Zacarias

A Câmara Municipal de Alandroal (distrito de Évora) foi ontem alvo de buscas da Polícia Judiciária, ao abrigo de uma investigação que tem como alvo o antigo autarca João Nabais (PS).

As suspeitas que recaem sobre o ex-presidente da autarquia são de alegada corrupção, uso indevido de dinheiros do município para pagar viagens ao estrangeiro a familiares, funcionários camarários e, pelo menos, a um industrial da construção civil. A primeira denúncia partiu da distrital de Évora da Coligação Democrática Unitária (CDU), em 2008.

O actual presidente da câmara municipal, João Grilo, confirmou estas informações, avançando que cerca de 30 elementos da PJ estiveram na autarquia, das 9h às 17h, onde conversaram com funcionários e examinaram equipamentos informáticos, tendo levado "alguns projectos, algum material, sobretudo processos que têm a ver com obras e com viagens ao estrangeiro". O autarca frisou que, "se forem comprovadas ilegalidades, que a justiça seja feita". Fonte autárquica adiantou também que outros locais foram igualmente alvo de buscas, nomeadamente a associação Choupana, de que João Nabais faz parte, bem como a residência do ex-autarca e de colaboradores do anterior executivo.

João Nabais presidiu à câmara entre 2001 a 2009, tendo sido derrotado nas últimas autárquicas pelo também socialista João Grilo, que decidiu candidatar-se pelo Movimento Unidade e Desenvolvimento de Alandroal (MUDA). O PÚBLICO tentou, sem sucesso, falar com João Nabais.
Público, 16.07.2010

3 comentários:

Camões disse...

PODER (ABSOLUTO) CORRUPTO

CORRUPÇÃO

INJUSTIÇAS SOCIAIS

Corrupção vem do latim corruptus, significa quebrado em pedaços. O verbo corromper significa “tornar pútrido”.

A corrupção pode ser definida como utilização do poder ou autoridade para conseguir obter vantagens, e fazer uso do dinheiro público para o seu próprio interesse, de um integrante da família ou amigo.

A corrupção é crime, veja alguns itens que revelam práticas corruptas:

* Favorecer alguém prejudicando outros.

* Aceitar e solicitar recursos financeiros para obter um determinado serviço público, retirada de multas ou em licitações favorecer determinada empresa.

* Desviar verbas públicas, dinheiro destinado para um fim público, e canalizado para as pessoas responsáveis pela obra.

* Até mesmo desviar recursos de um condomínio.

A corrupção está presente (com maior evidência) em países não democráticos e de terceiro mundo, essa prática infelizmente está presente nas três esferas do poder (legislativo, executivo e judiciário). O jogo de interesse dos corruptos atinge o todo, o uso do cargo ou da posição para obter qualquer tipo de vantagem é denominado de tráfico de influência.

Toda sociedade corrupta sacrifica a camada pobre, esses dependem puramente dos serviços públicos, mas fica difícil suprir todas as necessidades sociais (infra-estrutura, saúde, educação, previdência etc.) se os recursos são divididos com a área natural de atendimento público e com os traficantes de influência (os corruptos).

Quando o governo não tem transparência na administração é mais provável que haja ou que incentive essa prática, não existe país com corrupção zero, embora os países ricos democráticos tenham menos corrupção, a sua população é mais esclarecida acerca dos seus direitos, sendo assim mais difíceis de enganar.

Actualmente existe uma organização internacional que tem como finalidade desenvolver pesquisas nos países para “medir” o nível de corrupção, e a partir daí é feita uma classificação, num total de 180 países. Portugal ocupa neste momento a 35.ª posição no ranking da corrupção.

Fonte: Mundo Educação

PODER (ABSOLUTO) CORRUPTO

Germinando a semente irrompe
Rompendo a terra em absoluto,
Da mesma forma o poder corrompe...
Absolutamente o poder corrupto!!!

POETA

Cabé

Camões disse...

Copiado do Poet'anarquista

PECULATO
Crime contra o Estado

PECULATO versus DOLO

Peculato é um termo bastante usado em Direito, trata-se de um crime previsto no Código Penal Português e muito próprio de funcionários públicos contra a administração em geral.

Este crime só pode ser praticado por um servidor público na sua função, entretanto pode haver participação de terceiros.

Os verbos que caracterizam este crime são apropriar, desviar ou subtrair dinheiro, valores ou bens móveis que o funcionário tem em posse por conta do cargo ou função que exerce.

O Peculato pode ser doloso, ou seja, quando o individuo age com a intenção de efectuar o crime e obtém o resultado esperado, ou também de forma culposa, quando não quer, não tem a intenção de efectuar o crime, mas mesmo assim o comete. Mas, a forma de dolo, é a mais comum neste crime.

Fonte: www.olx.pt

PECULATO

Peculato contra o Estado,
Contra todos cometido...
Como tal deve ser julgado,
Prá Justiça fazer sentido!

POETA

Anónimo disse...

NOTÍCIAS

JORNAL QUINZENAL "BRADOS DO ALENTEJO"

26 DE JULHO DE 2010

ALANDROAL

JOÃO NABAIS CONSTITUÍDO ARGUIDO